As igrejas e templos mais bonitos de São Paulo

A diversidade religiosa de São Paulo é impressionante e a cidade abriga centenas de igrejas, templos, mesquitas, sinagogas, terreiros… Veja abaixo uma lista das construções religiosas mais bonitas e mais importantes da capital.

Catedral Ortodoxa de São Paulo
Igreja Ortodoxa
Foto no Flickr do betta design
A Catedral Ortodoxa de São Paulo, perto da estação Paraíso do Metrô, é a Sé da Arquidiocese da Igreja Católica Ortodoxa Antioquina no Brasil.

É um exemplo de construção arquitetônica bizantina que pode ser apreciado na América do Sul. Seu projeto, cuja edificação teve início da década de 1940, foi inspirado na Basílica de Santa Sofia em Constantinopla (atual Istambul).

Leia mais…

“This Is It” era isso mesmo

This_Is_It_Divulgacao

E não é que o cara estava bem mesmo? Pra um monte de gente que aguardava o “This Is It”, filme que junta pedaços dos ensaios para a que seria a última turnê de Michael Jackson, o resultado é… Caramba!

Na prévia, as imagens liberadas para a TV não convenciam lá muito. Era edição demais, música de menos. Tudo meio minguado à força; talvez para proteger — assim parecia — um ídolo que podia ter virado um vovô frágil aos 50 anos. Mas, no cinema, Jackson aparece inteirão: dança, canta, reclama, pede desculpa, abençoa, manda repetir tudo de novo.

Porque o teclado está diferente do que tem no disco. Porque a guitarra tem de ser mais alta. Se liga, é a sua hora de brilhar no show, a hora da guitarra. A batida… A batida é outra; assim, olha: e explica com o som da boca. Parece que tem coisa que só está exata na cabeça dele — Jackson é o chefe que você não gostaria de ter. Distribui as insatisfações com voz doce e depois afaga.

O diretor do show e do filme, Kenny Ortega, mostra os detalhes dos clipes para aprovação, mexe no esquema do palco e negocia pequenas concessões. “Ah, MJ,você…”. Num “momento de tensão”, fica nervoso quando Jackson sobe na grua e tira a mão da barra de proteção (deve ser parecido com o que sentiu quem colocou a Dercy Gonçalves naquele carro alegórico na Sapucaí, mas vários milhões de dólares acima). “Vamos pôr um ventilador aqui”, diz Ortega. E tome ventania, fogo, fumaça. O novo “Thriller” ia ter uma aranha gigante com o cantor dentro. Jackson pede uma firula qualquer com o trator que aparece no palco em “Earth Song”. “E aí então entra o piano”, explica. Feito.

Para quem vai pelo astro de tabloide, a tela do cinema mostra, em tamanho de outdoor, o corte cirúrgico no queixo. A boca pintada; as mãos, quase transparentes. O ídolo excêntrico cercado de bajuladores.

Os dançarinos dançam e babam ovo, um monte. Os músicos, os figurinistas… É o Michael Jackson! “Estou preservando minha voz”, ele diz depois de evitar os agudos infantis de “I Want You Back”. Aí segue com “The Love You Save” e dá uma roubadinha em “I’ll Be There”, que sai bem mais suave. Fica empolgado no dueto em “I Just Can’t Stop Loving You”, que fica quase interminável. “Poxa, vocês… Era para eu me poupar. Esse é só o ensaio”.

Mas, caramba, que ensaio. Jackson montando o que quer apresentar ao público em “Billie Jean”,”Beat It”, “Smooth Criminal”… Jackson urgente, megalomaníaco. “Queremos espalhar o amor”. “Temos quatro anos para salvar esse planeta”. “O retorno… Vocês colocam esse retorno no meu ouvido, na boa, eu sei que é para o bem, mas faz uma bagunça aqui… Eu não ouço nada”. “Deus te abençoe!”. E aí, hein, o  que ia acontecer? “This Is It” dá uma puta vontade, lá no cinema, de fazer parte da multidão de um megashow que nunca nem houve.

This Is It” //112 min. // Nas próximas duas semanas em São Paulo e outras 16 cidades pelo mundo

São Paulo debaixo d’água e o silêncio do poder público

Caos em São Paulo nesta terça-feira. Em apenas algumas horas, a chuva acumulada foi de 62,2 milímetros. O normal para o mês inteiro seria chover entre 42 milímetros e 88 milímetros. É até compreensível que com essa quantidade de água a cidade entre em colapso. Mas não podemos esquecer que no mês passado a Prefeitura cortou grande parte dos recursos destinados à limpeza urbana.

Coincidentemente, nesta terça-feira o jornal Agora publicou a reportagem “Vias do centro amanhecem repletas de lixo e entulho“:

Avenidas da região central de São Paulo -como Prestes Maia, São João e Duque de Caxias- amanheceram repletas de lixo ontem, feriado nacional da Independência. Até bairros residenciais com menor concentração de pessoas, como o Brooklin (zona sul de São Paulo), sofrem com a falta de recolhimento do lixo. A sujeira chega a atrapalhar a passagem de pedestres.

Lixo jornal Agora

Com a chuva desta terça-feira, sabe onde o lixo da foto acima foi parar? Não é difícil imaginar que, se a cidade estivesse um pouco mais limpa, talvez os efeitos devastadores do dilúvio de hoje fossem menores. Certamente haveria prejuízo, haveria trânsito, haveria pane nos semáforos. Mas talvez o Rio Tietê não transbordasse, coisa que não acontecia desde 2005.

Para piorar a situação, se você entrar agora (23h45 de terça-feira) nos sites oficiais da Prefeitura e do governo do Estado, não vai ver nenhuma notícia relacionada aos problemas de hoje na cidade.

No meio da tarde o site da Prefeitura divulgou um boletim do tempo dizendo que “novas áreas de instabilidade” atingiam a cidade. Mas nem a informação de que o rodízio foi suspenso ou o que o cidadão que teve a casa invadida por enchentes deve fazer está na página…

Por meio de notas oficiais, tanto o governo municipal como o estadual se limitaram a dizer que “mobilizaram esforços” para atuarem de forma intensa e rápida. Nenhuma entrevista coletiva, nenhum anúncio de medidas emergenciais… E o governador José Serra, geralmente tão prolífico em seu Twitter, não escreve nada desde o último domingo, dia 6.

Escreveu, não leu…

Relaxe  - Bruno Soraggi

“Fui tirar uma foto da instalação RELAXE na Av. Dr. Arnaldo e acabei criando um wallpaper da Axe”, twittou o amigo do Urbanistas Bruno Soraggi pouco antes do desfecho da polêmica com as “intervenções artísticas” espalhadas em São Paulo.

Para quem estava descansando, rolou o seguinte: no domingo, a Natura estreou comercial na TV em que letreiros se destacavam numa cidade. Liam-se as palavras “Descanse”, “Relaxe” e “Calma” na paisagem urbana. Na segunda-feira de manhã, as mesmas palavras eram usadas em peças gigantes colocadas na Praça da Sé, na Av. Dr. Arnaldo e na Av. Europa.

Os letreiros, do grupo BijaRI, haviam sido aprovados pela prefeitura. A semelhança com a propaganda — a Natura patrocinou a iniciativa –, contudo, levantou suspeita de tentativa de burlar a Lei Cidade Limpa, e ontem foi ordenada a retirada das instalações.

De fato, quem viu o filme  na TV achava que assistia a um mash up urbano do “Filtro Solar” com a fachada da Drogaria Onofre. Ao dar de cara com o letreiro na rua, na vida real… Onde é que eu vi isso, mesmo? Relaxou, a mensagem estava internalizada.

Uma mensagem bem mais sorrateira que a da foto do Soraggi. Mas, calma — este post nem usa desodorante.

Extra, extra!

Salão do Turismo é boa dica para o fim de semana

Foto Cesar Ogata

Quer viajar nas próximas férias, mas ainda não tem ideia do destino? Uma visitinha ao Salão do Turismo (www.salao.turismo.gov.br) pode te ajudar a determinar o rumo. Promovido pelo Ministério do Turismo, o evento acontece pela quarta vez em São Paulo e reúne a oferta turística de todos os estados brasileiros e de diversos ramos de atividade, da companhia aérea ao estabelecimento hoteleiro. Quer comprar o pacote completo, incluindo os passeios? Pode. Prefere comprar só a passagem aérea? Pode também.

Não pretende sair da capital nos próximos meses, mas ficou sem programa para o fim de semana chuvoso? Uma passada no Anhembi também pode resolver o problema. Afinal, o salão tem programação cultural e gratuita, oficinas de artesanato, exposição e venda de artesanato e gastronomia dos 27 estados. Uma praça de alimentação serve pratos da culinária regional de todo o país, como o cearense baião de dois e o mineiro feijão tropeiro, entre muitas outras opções.

O melhor de tudo é que o passeio sai quase de graça. O credenciamento online garante a entrada gratuita no pavilhão de exposições. (https://credenciamento.websiteseguro.com/salaodoturismo/visitantes/). Basta preencher um cadastro rápido, imprimir o documento com o código de barras e apresentar na entrada do evento para retirar a credencial. A organização também disponibilizou um ônibus gratuito que faz o trajeto da estação Tietê do metrô ao Anhembi em diversos horários.

Por partes

O salão está dividido em vários módulos. Na Feira de Roteiros, os visitantes conferem as novidades em atrativos turísticos dos 27 estados, divididos por macrorregiões (sul, sudeste, norte, nordeste e centro-oeste). Na Área de Comercialização, o consumidor pode comprar pacotes diretamente dos fornecedores e aproveitar preços e condições especiais de pagamento.

Um dos setores mais concorridos, a Vitrine Brasil funciona como uma grande exposição da produção artesanal e da gastronomia brasileira. Em cada uma das 27 lojas de artesanato, o visitante pode comprar produtos típicos do estado representado. As rendas alagoanas estão por lá, os orixás baianos também. Como na edição passada, um galpão exibe e comercializa joias brasileiras, mas a novidade para esse ano foi a inclusão de um espaço independente para a exposição e venda de roupas e moda brasileira. Outra novidade é o Espaço Vivências, onde os visitantes poderão aprender (ou, ao menos, experimentar) diferentes técnicas artesanais e manusear diversas matérias-primas sob a observação dos artesãos.

A praça de alimentação foi montada em uma área de 2,4 mil metros quadrados e oferece mais de vinte opções de receitas tradicionalmente brasileiras a um custo de R$ 5 por porção. As sobremesas saem por R$ 3. Ainda no quesito gastronomia, o interessado pode degustar e comprar itens produzidos por agricultores familiares de todo o país em um estande único. A lista de guloseimas é enorme e contempla desde a tradicional castanha de caju (cerca de R$ 15 por 500g) até o queijo parmesão caseiro (R$ 25 o quilo). Palmito pupunha, doces, polpas de frutas, biscoitos, embutidos e até peixes amazônicos congelados podem ser comprados.

Aberto na quarta-feira, o salão vem registrando uma participação expressiva do público, mas no fim de semana o número de visitantes deve aumentar bastante. A organização estima que cem mil pessoas passem pelo Anhembi até domingo. Segundo o Ministro do Turismo, Luiz Barretto, os preços estão de 10% a 20% mais baixos que no ano passado.

Quando, onde e quanto?

Hoje, o Salão do Turismo está aberto até 22h. Amanhã, funciona das 10h às 22h e domingo, das 10h às 20h. Os ingressos para quem não fizer o cadastro pela internet custam R$ 10 e o estacionamento, R$ 20 (dinheiro ou cheque). Pessoas acima dos sessenta anos e crianças menores de cinco anos têm gratuidade na entrada. O Parque Anhembi fica na Avenida Olavo Fontoura, 1209, em Santana.

Por Camila Ribeiro, exclusivo para o Urbanistas
Foto: Cesar Ogata