I ain’t sayin’ he a gold digger

Mas o show do Kanye West no TIM Festival em São Paulo… Começou com um ‘Wake up Mr. West’, alright. Trouxe seus maiores sucessos, ok. Veio com a historinha do astro que foi parar na terra de ETs, tá certo. Aí o ego (claro!),  uns foguinhos no palco, a plataforma que sobe ainda mais lá pra cima, mas faltou… faltou qualquer coisa e foi frio.

O Guia da Folha havia apresentado o evento, na capa, como um ‘megashow’, o ‘show-ópera’ do ’Rei do Pop’ — Michael Jackson quem?. A gente até estava aberto a ouvir a argumentação, só que não rolou. Ele fez uma apresentação divertida, mas com um retrogosto de amostra de segunda em São Paulo.  It DIDN’T feel like L.A., it DIDN’T feel like Miami, It DIDN’T feel like NY… Se a ‘Glow in the Dark Tour‘ que passou por aqui é a original, só faísca.

O público foi pequeno, mas honesto — rolava sair, pegar uma cerveja e voltar para um lugar na frente tranqüilamente. O palco, com uma ou outra firula, representava um planeta qualquer onde o superstar (‘o maior do universo’, insiste o show) caiu. No telão, ora a árida paisagem interplanetária, ora a ‘computadora de bordo’ dialogando com o grande-e-único Kanye. Só ele, sempre. A ‘computadora’ de vez em quando descia do teto na forma de uma tela quadrada suspensa. Vez ou outra torta, sem querer.

Em algum momento ele mandou tirarem uma luz, dono do show. Em algum momento ele agradeceu à banda, que teoricamente estava atrás do palco e ninguém viu.  Em algum momento falou do preço da turnê, que jamais comportaria uma apresentação completa no Brasil — mas que rolou, mesmo assim, inteira.

Rolou? A impressão foi de que, apesar do talento do cara, dos hits, do monstro cenográfico de olho vermelho que aparece e some do nada… Apesar disso tudo, Kanye West veio meia-bomba. Foi mais legal durante Gold Digger, All Falls Down e Stronger. O melhor momento do show foi com a ótima Good Life . E foi meio que isso aí. Não teve bis.

O comércio além do show da Madonna

Madonna finalmente vem para São Paulo. E junto com ela, milhares de pessoas se movimentam para receber o público que deve encher o Morumbi nas duas noites programadas do espetáculo. Além do comércio ao redor do estádio, o show da popstar americana vai trazer lucro para muita gente.

Do G1:

Para receber todo esse público, vários setores de serviços já começaram a se mobilizar. “Ainda falta esse tempo todo e já estamos com pelo menos 30% do hotel reservado nesse período (18 a 20 de dezembro) só para Madonnna. Há várias reservas de Minas Gerais e do interior paulista. Esse show deve mexer com o faturamento de toda a rede”, conta Erivan Dantas de Oliveira, gerente dos hotéis San Rafael e San Michel, no Largo do Arouche, região central da cidade, que juntos têm 274 apartamentos.

E se você planeja comprar ingressos, é melhor contar com a sorte e a paciência. Hoje começaram a vender os ingressos para o show do Rio de Janeiro e os relatos não são os mais animadores.

Do iGPop:

Fãs da cantora ainda encontram muita dificuldade em concluir a compra. As linhas telefônicas continuam congestionadas e o site apresenta muita lentidão. Também há centenas de pessoas nos pontos de venda montados na capital carioca. Nas comunidades dedicadas a Madonna em redes de relacionamento como o Orkut, o descontentamento é geral.

Connor Oberst @ StudioSP

Oriundo do Nebraska, interior dos Estados Unidos, o jovem Connor Oberst fez o show de abertura do projeto Folk-se, no Studio SP na última quarta-feira, 16 de julho.

Também conhecido como o líder do Bright Eyes, o jovem de 26 anos mostrou seu folk de pegada roqueira na primeira parte do festival que terá atéo fim do ano shows de Bill Callahan; anteriormente conhecido como (smog) e Will Oldham; anteriormente conhecido como Bonnie Prince Billy.

Acompanhado do baterista Jason Boesel e do trumpetista e tecladista Nate Walcott, Connor e a Mystic Valley Band apresentaram mais músicas do Bright Eyes do que de seu projeto solo.

Com a carreira comumente dividida entre os álbuns feitos sob o verão escaldante e o inverno congelante, Oberst mostrou mais músicas feitas sob a primeira circunstância em pouco mais de uma hora e quinze de show.

A abertura ficou por conta de ótima Stephanie Toth, que com uma voz lindíssima fez um excepcional show.

Veja mais fotos após o clique:

Leia mais…

A tardinha cai no Ibirapuera

A voz no microfone disse: pedimos que assistam ao show sentados. E assim foi, na tranqüilidade ar-livre da confirmação do desejo da maioria na tarde de inverno no parque. Bebel Gilberto, Adriana Calcanhotto, Fernanda Takai, Roberta Sá, Marcelo Camelo e Marcelo D2 homenageando João Donato, ao piano, e os 50 anos da Bossa Nova.

Ibirapuera

 

Atrações do Tim Festival 2008

Klaxons e The Gossip devem ser as principais atrações do Tim Festival 2008, que teve suas primeiras atrações anunciadas oficialmente nesta terça-feira. Além das duas bandas, a “lenda do saxofone” Sonny Rollins e a cantora de jazz Stacey Kent também já estão confirmados.

Do G1:

Rio de Janeiro, Vitória e São Paulo são as cidades que irão receber as atrações em diferentes programações – Curitiba, que recebeu o Tim Festival em edições anteriores – não foi citada no comunicado. A princípio, a capital paranaense não estará no festival. A assessoria de imprensa também diz que haverá mudanças no braço do evento na capital paulista, mas diz que só serão anunciadas mais tarde.

Esperamos que a edição paulistana seja muito melhorada, já que no ano passado houve muita confusão, falta de bebidas e atrasos. Para quem não se lembra, o show do The Killers terminou quando amanhecia, numa segunda feira! No ano passado, as principais atrações do festival foram Björk, Arctic Monkeys, The Killers, Hot Chip e Cat Power.

Foto no Flickr do Vern.

(Not so) Secret Show do MySpace em SP

O MySpace Brasil anunciou nesta sexta-feira as atrações do seu (not so) Secret Show do próximo dia 30, em São Paulo. A banda queridinha da MTV Fresno será a atração principal, mas a noite terá ainda Hateen e Túlio Dek. Imperdível (mentira!).

A noitada paulistana da segunda-feira, dia 30, começa com o rapper Túlio Dek, nova sensação do gênero. Na sequência, Koala e a trupe do Hateen botam fogo no(a)….Uhn, pensaram que íamos entregar todo o ouro, né? Pois o local exato vocês só saberão três dias antes. E coroando a balada, o grande grupo da cena punk-pop-rock ou o nome que quiserem dar: Fresno!

O local do show, que é só para membros do MySpace, só será divulgado três dias antes do evento. Para garantir seu ingresso, é necessário adcionar os perfis NoKia e Secret Show como seus amigos principais, imprimir o perfil e aguardar na fila. Até valeria o trabalho se a qualidade das bandas fosse compatível com os “Secret Shows” gringos, que já tiveram Killers, Primal Scream, Yeah Yeah Yeahs!!!…