“This Is It” era isso mesmo

This_Is_It_Divulgacao

E não é que o cara estava bem mesmo? Pra um monte de gente que aguardava o “This Is It”, filme que junta pedaços dos ensaios para a que seria a última turnê de Michael Jackson, o resultado é… Caramba!

Na prévia, as imagens liberadas para a TV não convenciam lá muito. Era edição demais, música de menos. Tudo meio minguado à força; talvez para proteger — assim parecia — um ídolo que podia ter virado um vovô frágil aos 50 anos. Mas, no cinema, Jackson aparece inteirão: dança, canta, reclama, pede desculpa, abençoa, manda repetir tudo de novo.

Porque o teclado está diferente do que tem no disco. Porque a guitarra tem de ser mais alta. Se liga, é a sua hora de brilhar no show, a hora da guitarra. A batida… A batida é outra; assim, olha: e explica com o som da boca. Parece que tem coisa que só está exata na cabeça dele — Jackson é o chefe que você não gostaria de ter. Distribui as insatisfações com voz doce e depois afaga.

O diretor do show e do filme, Kenny Ortega, mostra os detalhes dos clipes para aprovação, mexe no esquema do palco e negocia pequenas concessões. “Ah, MJ,você…”. Num “momento de tensão”, fica nervoso quando Jackson sobe na grua e tira a mão da barra de proteção (deve ser parecido com o que sentiu quem colocou a Dercy Gonçalves naquele carro alegórico na Sapucaí, mas vários milhões de dólares acima). “Vamos pôr um ventilador aqui”, diz Ortega. E tome ventania, fogo, fumaça. O novo “Thriller” ia ter uma aranha gigante com o cantor dentro. Jackson pede uma firula qualquer com o trator que aparece no palco em “Earth Song”. “E aí então entra o piano”, explica. Feito.

Para quem vai pelo astro de tabloide, a tela do cinema mostra, em tamanho de outdoor, o corte cirúrgico no queixo. A boca pintada; as mãos, quase transparentes. O ídolo excêntrico cercado de bajuladores.

Os dançarinos dançam e babam ovo, um monte. Os músicos, os figurinistas… É o Michael Jackson! “Estou preservando minha voz”, ele diz depois de evitar os agudos infantis de “I Want You Back”. Aí segue com “The Love You Save” e dá uma roubadinha em “I’ll Be There”, que sai bem mais suave. Fica empolgado no dueto em “I Just Can’t Stop Loving You”, que fica quase interminável. “Poxa, vocês… Era para eu me poupar. Esse é só o ensaio”.

Mas, caramba, que ensaio. Jackson montando o que quer apresentar ao público em “Billie Jean”,”Beat It”, “Smooth Criminal”… Jackson urgente, megalomaníaco. “Queremos espalhar o amor”. “Temos quatro anos para salvar esse planeta”. “O retorno… Vocês colocam esse retorno no meu ouvido, na boa, eu sei que é para o bem, mas faz uma bagunça aqui… Eu não ouço nada”. “Deus te abençoe!”. E aí, hein, o  que ia acontecer? “This Is It” dá uma puta vontade, lá no cinema, de fazer parte da multidão de um megashow que nunca nem houve.

This Is It” //112 min. // Nas próximas duas semanas em São Paulo e outras 16 cidades pelo mundo

Lembranças da comida da vovó

Frango com tudo Se você tem saudades da comida da vovó, aquela comida do interior, recomendo o restaurante/boteco Frango Com Tudo, que fica na região de Santa Cecília.

Como o nome já diz, o forte da casa é o frango. Frango na brasa, frango cozido, frango com polentas… E tem também o “frango com tudo dentro”, que leva farofa de míudos dentro da ave e serve quatro pessoas.

Recomendo também o caldo de feijão e as porções de entrada, como torresminho, pão de alho e frango a passarinho. Ah, destaque também para a farofa de banana da terra e o purê como acompanhamento dos pratos principais!

Os preços dos pratos são bem em conta, o ambiente é bem casual e vale a visita de quem está na região central da cidade.

Frango com Tudo // R.Canuto do Val, 115, Sta. Cecília