Bienal do Livro abre as portas em São Paulo

Começou nesta quinta-feira a 20º Bienal do Livro de São Paulo, no pavilhão de exposições do Anhembi. Com expectativa de receber cerca de 800 mil pessoas, o evento terá 684 horas de programação cultural ao longo até o dia 24 de agosto. De acordo com a organização, haverá uma atividade cultural diferente a cada três minutos à disposição dos visitantes.

Do Estadão:

A lista de convidados é eclética, apostando em nomes consagrados como Lygia Fagundes Telles e Zuenir Ventura e até em celebridades como Marília Pêra e Chico Anysio. Entre os estrangeiros, os destaques são o mexicano Guillermo Arriaga, conhecido pelos roteiros de filmes como Babel e Amores Brutos, e a americana Samantha Power, autora de O Homem Que Queria Salvar o Mundo.

A expectativa é de que o público deste ano também seja recorde, com a presença de 800 mil pessoas no evento – o segundo maior do ramo no mundo, ficando atrás apenas da Feira do Livro de Frankfurt, segundo os organizadores. Além dos tradicionais estandes das editoras, a Bienal vem investindo numa programação paralela, que atinja todos os públicos e todas as idades.

A Bienal do Livro deixou muito a desejar nas últimas edições. Desorganização, longas filas de estacionamento, fila para comprar ingressos, corredores tumultuados e os preços dos livros semelhantes aos das livrarias. Torcemos para que esta edição seja um pouco melhor.

Bienal do Livro // R$ 10 a entrada // 14 de agosto até 24 de agosto // Estacionamento: R$ 20

Foto no Flickr do Hamilton Lima.
Leia mais…

O ataque das algas?

O G1 publicou hoje uma imagem curiosa do Rio Tietê. Parte de uma das margens foi tomada por uma vegetação aquática ainda de origem desconhecida.

Do G1:

Técnicos da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) dizem que o fenômeno teve origem em um ponto de água parada, uma lagoa ou represa, com excesso de matéria orgânica, resultado de poluição ou de fatores naturais. Segundo a Cetesb, essas plantas devem ter sido levadas para o rio após as chuvas. Técnicos percorriam nesta tarde o rio em busca do ponto de onde a vegetação teve origem. A Cetesb diz que a presença da planta em água corrente é pouco comum.

Talvez tenha sido o aquecimento global, não?

Extra, extra!

Foto no Flickr da Karla-S.

Grafite que não se apagou

Divulgação/Viva Saturno,Alex VallauriNum momento em que discutimos cidade limpa, listas de preservação e a domesticação (ou não) do grafite, o Centro Cultural São Paulo traz a mostra ‘Setenta e oito, setenta e nove: precursores do graffiti em São Paulo’.

A exibição, que começa no próximo dia 16 e vai até 14/09, aborda o começo da apropriação de muros, pontes, postes — da cidade como suporte para os trabalhos. Também está na exposição o envolvimento do movimento com outras formas de expressão, como a videoarte e o xerox.

Então anota aí: de terça a sexta, é das 10h às 20h. Domingos e feriados, das 10h às 18h. O Centro Cultural São Paulo fica na Rua Vergueiro, 1000, no Paraíso.

Extra, extra!

Foto no Flickr do R. Motti.

Água mais cara

A Sabesp anunciou nesta segunda-feira a aprovação de um reajuste de 5,10% nos serviços de água e esgoto. O aumento na tarifa vale a partir de hoje. O anúncio vem três dias depois de a empresa ter divulgado lucro de R$ 663,7 milhões no semestre, com alta de 12,8% em relação ao mesmo período de 2007.

Da Folha de S. Paulo:

Este é o primeiro reajuste de tarifas de saneamento básico concedido pela Arsesp, agência reguladora criada em dezembro de 2007 depois de dez anos da Comissão de Serviços Públicos de Energia – CSPE. Segundo a agência, as tarifas da Sabesp serão reajustadas por meio de um índice que considerou as variações de custos observadas no período referente ao reajuste, de julho de 2007 a junho de 2008.

A água está cara e cada vez mais rara. Portanto, economize!