Grafite que não se apagou

Divulgação/Viva Saturno,Alex VallauriNum momento em que discutimos cidade limpa, listas de preservação e a domesticação (ou não) do grafite, o Centro Cultural São Paulo traz a mostra ‘Setenta e oito, setenta e nove: precursores do graffiti em São Paulo’.

A exibição, que começa no próximo dia 16 e vai até 14/09, aborda o começo da apropriação de muros, pontes, postes — da cidade como suporte para os trabalhos. Também está na exposição o envolvimento do movimento com outras formas de expressão, como a videoarte e o xerox.

Então anota aí: de terça a sexta, é das 10h às 20h. Domingos e feriados, das 10h às 18h. O Centro Cultural São Paulo fica na Rua Vergueiro, 1000, no Paraíso.



One Response to “Grafite que não se apagou”

  1. Bom blog..
    texto bem escrito!