Passado é passado. Na poça da esquina

Extra, extra!

Foto no Flickr do Paulo de Loyola.

Novidades no Skol Beats 2008

A edição de 2008 do Skol Beats terá novidades. Pela primeira vez, o festival de música eletrônica será “co-criado” pelo público, por meio de votações e discussões na internet. Segundo anunciado hoje pela organização do evento, o Skol Beats será construido a partir de idéias e sugestões das pessoas.

A decisão do lineup, organização das tendas, opções de horário e outros detalhes serão votados. O processo terá duas etapas: a discussão no fórum do Skol Beats e a votação propriamente dita.

Primeiro passo na construção do Skol Beats, o fórum promoverá discussões entre internautas, comunidades e blogueiros, para incentivar trocas de idéias qualitativas sobre a cena eletrônica de todas as vertentes, tendências, nomes inéditos da cena nacional e internacional, entre outras abordagens.A partir destas discussões, a organização do evento levantará as tendências e vertentes da cena eletrônica apontadas nos fóruns.

Continuando a construção do evento, a partir de 26/05 o público dará início às votações. A primeira etapa será a escolha das atrações internacionais, onde será apresentada uma lista contendo 14 nomes de atrações internacionais, para que o público vote em 7. A segunda etapa é a de atrações nacionais, o público deverá escolher entre uma lista de 10 nomes nacionais para a votação de 5.

O Skol Beats 2008 acontece no dia 27 de setembro, em local ainda indefinido. Aliás, o local do festival também será votado entre três opções disponibilizadas pelos organizadores. Veja mais informações sobre as votações aqui.

Foto no Flickr do Vilhelm Sjostrom.

Extra, extra!

Foto no Flickr distant_camera

Época São Paulo nas bancas

Chegou às bancas neste fim de semana a tão esperada edição paulistana da Revista Época: a Época São Paulo. A matéria de capa da revista, que será mensal, traz as “50 razões para amar São Paulo“.

Itens batidos como “melhor gastronomia do mundo”, “melhor noite do planeta” e “maior parada gay do mundo” se misturam com tópicos interessantes e inusitados, como “Porque o Corinthians sempre dá alegria. Quando ganha (para a fiel) e quando perde”. Na nossa opinião, a razão mais legal para amar São Paulo apontada pela revista é: “Porque Luana Piovani se mudou para o Rio e anda sumida”. Ouch!

O site da revista é muito bacana, com destaque especial para os seis blogs temáticos da redação. Como bem apontou Tiago Dória:

Um espaço nobre vai para o uso o uso de geocoding, associar uma informação a uma localização geográfica. Um mashup com o Google Maps mostra em um mapa online a localização exata de cada restaurante comentado pela revista.

Nas palavras de Alex Maron, editor da revista, podemos perceber que a Época São Paulo tenta trazer o que há de bom em revistas consagradas internacionalmente para fugir um pouco da comparação com a Veja São Paulo, que acaba sendo inevitável.

Não é uma revista semanal. É mensal. Tem 120 páginas editoriais, 60 delas com reportagens de fôlego. Tem um roteiro lindo, lindo de morrer. Tem uma equipe bacana, motivada, apaixonada, interessada em fazer uma revista moderna, inovadora, fina, antenada e, bem, linda de novo.

Se depender do Urbanistas, vida longa à Época São Paulo! A concorrência entre revistas é sempre boa e o leitor paulistano só tem a ganhar com mais uma opção nas bancas.

Extra, extra!

Foto da Virada Cultural no Flickr da Becagraphy.