Dia da Consciência Negra

300px-Zumbidospalmares.jpg Mal voltamos do feriado prolongado da última quinta-feira e já arrumamos uma emenda para esta terça-feira: o Dia da Consciência Negra. De um total de 5.561 municípios brasileiros, apenas 225 irão comemorar o feriado, segundo levantamento da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. E São Paulo é uma dessas cidades!

Para celebrar a data em que foi assassinado, em 1695, o líder Zumbi, do Quilombo dos Palmares, o Vale do Anhangabaú a praça da Sé recebe um show na terça-feira com diversos nomes significativos do movimento negro.

Martinho da Vila, Sandra de Sá, Happin’ Hood e Ilê Aiyê, entre outros, irão comemorar o Dia da Consciência Negra com shows das 12h às 17h de terça-feira. O espetáculo terá como apresentadores Patrícia Liberato, poetas da Cooperifa e Zezé Motta e será animado pelos Djs convidados Eduardo Brechó e K. L. Jay.

Mais cedo, 9h, a Sinfonieta de Compositores Mulatos apresenta na Catedral da Sé um repertório de clássicos da música erudita do século XVI aos dias atuais. As 11h, uma missa Conga, ritual afro-brasileiro, será celebrada pelo Bispo Dom José Benedito Simão, também na Catedral da Sé.

Veja a programação completa!


9h – SINFONIETA DE COMPOSITORES MULATOS

Formada 24 músicos, a Sinfonieta apresenta, dentro da Catedral da Sé, um repertório de clássicos da música erudita do século XVI aos dias atuais

11h – Ato Ecumênico

MISSA CONGA – ritualístico afro-brasileiro, integrado por grupos de cultura tradicional celebrada pelo Bispo Dom José Benedito Simão – Catedral da Sé

12h – ILÊ AIYÊ

Apresentação da banda Band’Aiyê que é formada exclusivamente por artistas afrodescendentes e comandada pelos cantores Guiguio, Graça Onasilê, Reizinho, Altair, Adelson e Cristiano, acompanhados por 9 percussionistas que obedecem ao ritmo dos maestros e arranjadores Marivaldo Paim, Mario Pam & Rafael.

14h – SANDRA DE SÁ

Considerada a “rainha do soul brasileiro”, Sandra de Sá, cantora e compositora, apresenta o show baseado em canções que marcam a trajetória dos seus 25 anos de carreira. No repertório estão: Olhos Coloridos (Macau), Solidão (Chico Roque/ Carlos Colla), Com você tudo fica melhor (Sandra de Sá/ Zé Ricardo), Quero ver você dançar (Tom Saga), entre outras.

16h – MVBILL e Banda

Nascido na favela da Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, teve sua primeira incursão no mundo do rap ao participar da coletânea Tiro Inicial em 1993. Em 1998, lançou o disco Traficando Informação, mas ganhou notoriedade, em 2006, pelo documentário Falcão – Meninos do Tráfico. Nesse show, parte das comemorações do Dia da Consciência Negra, o rapper apresenta músicas como Traficando Informação, Soldado do Morro, Só Deus Pode Me Julgar, entre outras.

17h30 – RAPPIN´ HOOD e Banda, participação especial do grupo francês SAIAN SUPA CREW

Um dos principais nomes do hip-hop paulistano, Rappin’ Hood começou aos 14 anos a freqüentar os bailes e criar as primeiras letras de rap. Formou, no começo dos anos 90, o grupo Posse Mente Zulu, um dos mais importantes grupos de rap de São Paulo e, em 2001, lançou seu primeiro álbum solo, Sujeito Homem, que mistura ao rap tradicional, gêneros como o samba e o reggae. No dia 20, o rapper receberá o grupo francês Saian Supa Crew.

19h – MARTINHO DA VILA e Banda, participação especial de FABIANA COZZA

Martinho da Vila, músico e compositor carioca, foi o primeiro sambista a ultrapassar a marca de um milhão de cópias com o CD Tá delícia, Tá gostoso. É autor de famosas canções de MPB como Quem é Do Mar Não Enjoa e Mulheres, e tornou-se conhecido no III Festival da Record, em 1967, quando concorreu com a música Menina Moça.



One Response to “Dia da Consciência Negra”

  1. parabéns e sucesso! O website está mais dinâmico, mais interativo e super moderno.