Memorial do Bixiga

achiropita.jpg

“O Bixiga não pode morrer’! Predestinado a recuperar e manter viva a história do Bixiga, bairro que recebeu a imigração italiana em São Paulo, Seu Walter Taverna, de 82 anos, hipotecou a casa e transformou dois sobrados da Rua Treze de Maio no “Centro da Memória do Bixiga”, que deve ser inaugurado nesta segunda-feira (1º de outubro).

Walter Taverna, neto de sicilianos, é dono da Cantina da Conchetta e um dos ícones do Bixiga. Dono de cinco mil reportagens, 20 mil fotos e centenas de objetos que marcaram história, Taverna luta pela preservação da tradição italiana no bairro.

Ao longo dos anos, Taverna já conseguiu a aprovação do tombamento de 906 casas e cerca de três mil (!!!) estão em processo de avaliação para tombameto.

O neto de sicilianos, que tenta preservar o bairro e sua história marcada nas calçadas e edificações, já conseguiu ao longo dos anos de luta o tombamento de 906 casas. Cerca de 3.000 seguem em processo para tal. Segundo o Estadão:

Fundador uno da Sociedade de Defesa das Tradições e Progresso da Bela Vista, Walter Taverna é um promoter com sotaque bixiguês. Seu negócio é organizar eventos para promover o bairro, que nos ofícios bairro não é. O Bixiga constitui parte do distrito da Bela Vista, na região central da cidade, e se prolonga da Avenida 9 de Julho à Brigadeiro Luís Antônio e da Rua Maria Paula à Cardeal Leme, com umas ruas esparramadas mais pra frente ou mais pra trás.

Foto no Flickr da Nalu e Mamu



One Response to “Memorial do Bixiga”

  1. Senhor,

    O Bolo do Bixiga para comemorar o aniversário da cidade de São Paulo é feito com muito capricho, realmente um primor. A minha sugestão e de muitas outras pessoas, inclusive de envolvidas na preparação do bolo, organizadoras da festa e alguns patrocinadores, é a de que o Bolo deva ser servido individualmente nas filas e não no avançar e atacar. A festa vai ficar muito mais bonita, se a Sociedade de Defesa das Tradições e Progresso da Bela Vista ( SODEPRO ) convidar 400 pessoas voluntárias para ajudar na distribuição do Bolo, instituindo fila a cada a 5 metros de Bolo e servi-lo aos presentes. Adotado esse sistema , com certeza a festa do Bixiga vai ser uma grande demonstração de civismo e generosidade. Abaixo
    a selvageria e viva a educação para São Paulo e o Brasil.

    Monsueto de Castro