Guiando um ônibus em São Paulo

onibus_transporte150907.jpgNão, eu não assumi o volante, mas tive que ajudar o motorista a fazer o percurso!

Explico: por causa do acidente com a roda que escapou de um dos ônibus da cooperativa Cooperauhton, hoje a linha que eu uso, que era da fatídica empresa, acordou na sexta sob nova administração.

Como a substituição foi feita em caráter de emergência, motorista e cobrador ainda não conheciam o caminho, daí…

Entrei no começo da rota. O cobrador foi logo perguntando pra moça que entrou no ônibus na minha frente: “Você sabe o caminho do ônibus até seu ponto? Então você vai guiando a gente!” Quando percebeu que ele não estava brincando, ela passou a bola pra mim, que fui pra cadeira da frente ajudar o “motô” a chegar até a Brigadeiro.

Ainda no ponto inicial, era engraçado ver a reação das pessoas diante da novidade: ao invés das surradas batedeiras ambulantes, que viviam quebrando e chegavam até a exalar gasolina em alguns dias, veículos articulados e novos. Todo mundo antes de entrar perguntava se aquele era mesmo o ônibus certo, tamanha a diferença.

Partimos, e eu indicando onde o motorista deveria virar. O medo de avisar tarde demais a hora de entrar em uma rua era grande, mas deu tudo certo. Os passageiros não reclamaram da falta de informação do motorista sobre a rota porque estavam agradecendo a substituição (ainda não definitiva, segundo ele) dos ônibus e da administração da linha. Uma usuária falou que já tinha ligado diversas vezes para a SPTrans para reclamar da linha, mas nada tinha sido feito até agora. Pena que uma pessoa teve que perder a vida para que as coisas mudassem.

Mais sobre o acidente com o ônibus da Cooperauhton:

Depois de acidente, SPTrans lacra 44 ônibus de empresa
Prefeito vistoria empresa de ônibus e anuncia aumento de fiscalização
Prefeito anuncia intensificação de manutenção dos ônibus

Foto do Flickr de Lucia Freitas



2 Responses to “Guiando um ônibus em São Paulo”

  1. Olá Marcela,

    Desculpe-me pela curiosidade, mais que linha é essa?
    Pois uma linha aqui da minha região, 677A – Vila Gilda – Ana Rosa, também era operada por essa empresa, e os seus ônibus devem ser os que mais tem quebras, interrompendo a viagem dos passageiros.
    Porém para minha surpresa, hoje uma outra empresa com ônibus novinhos em folha de aço, estavam fazendo a linha.

    Sds,

    Adalton Moura
    adaltonmoura@gmail.com

  2. Oi, Adalton! É a Vila Gilda mesmo! :D