Maroni, o Larry Flint brasileiro

bahamas.jpg

Sim, o Brasil tem seu Larry Flint! Pode ser que o “empresário da noite” Oscar Maroni Filho não tenha a mesma importância cultural Flint, mas o cara sabe criar uma polêmica e fazer publicidade em cima.

O factóide do dia foi o vídeo gravado pelo empresário algumas horas antes de ser preso. Sentado em uma cadeira no quarto de seu flat, Oscar Maroni fala diretamente com a câmera e faz seu discurso de injustiçado. Como trilha sonora, sua música preferia: “Fera Ferida”. O vídeo já saiu do ar, talvez por excesso de tráfego, mas seu conteúdo foi divulgado pelos portais.

No vídeo, o empresário diz que é alvo de “perseguições e afrontamentos descabidos” e afirma querer ter o “direito de viver como qualquer cidadão”. “Me deixem trabalhar, me deixem crescer”, pediu. Vale lembrar que Maroni foi preso no início da madrugada desta terça-feira acusado formação de quadrilha, tráfico de mulheres, exploração de prostíbulo e favorecimento à prostituição,

Nem o mais ingênuo paulistano podia acreditar que o Bahamas era uma casa noturna como outra qualquer. Com 20 anos de funcionamento, o local é referência no mercado de prostituição de luxo de São Paulo. O que espanta é que as autoridades demoraram tanto tempo para descobrir o que todo mundo já sabia e prender o dono do estabelecimento.

Como disse o pessoal do Nova Corja (que já lançou a campanha “Free Maroni“), a impressão que fica é que Maroni virou um “preso político“, já que seus problemas com a lei só começaram após o acidente da TAM. Recapitulando:

freemaroni.jpg

A vida de Maroni começou a ficar complicada depois do acidente com o avião da TAM no Aeroporto de Congonhas, em 17 de julho. O Oscar’s Hotel, que ele construiu, está muito próximo da rota dos aviões. A Prefeitura viu irregularidades na obra e mandou fechar o estabelecimento. Maroni provocou o prefeito pessoalmente e protestou contra o fechamento.

O Inagaki já fez um belo apanhado do que andam falando por aí e resumiu bem a situação: “como de habitual neste país, uma tragédia acabou descambando em zona”.

E o Sampaist tem uma dica para a Prefeitura. Se vocês não querem ser chamados de hipócritas por fecharem apenas um prostíbulo em São Paulo, sugerimos uma visita ao Café Photo, Moulin Rouge, Café Millenium, Boate Garden Night Club, Solid Gold Club… Bom, para facilitar, uma visita a este fórum já ajudaria bastante na fiscalização…

Foto no Flickr da cinda mari // Montagem “Free Maroni” by LeandroMP Toscographics…



Comments are closed.