Sampaist respondeu… E o leitor agradeceu com dicas e fotos

Há um tempo Fábio nos escreveu querendo dicas de passeios em São Paulo, especialmente na região da Liberdade e com isso montei um guia que publiquei aqui. Fábio veio, passeou e como agradecimento nos mandou um texto sobre suas impressões da cidade, dicas de guloseimas orientais e essas belas fotos do slideshow!

Tudo bem ?
Escrevo pelo e-mail de minha garota, pois suporta fotos pesadas. Estou de volta ao Rio. Graças as suas dicas e à net, eu e minha namorada percorremos quase toda Sampa de metrô. Adoramos o metrô, que é bem rápido e bem sinalizado. O único problema são as constantes superlotações. A Sé nos lembrou a música de Zé Ramalho “Vida de gado”.

O que achamos chato foi na hora das pessoas nos darem informações. Cada um dava sua versão de como chegar ao local. Logo tivemos que fazer uma média aritmética, além de sempre ouvirmos uma 2ª opinião. A noção de distância dos locais também variava bastante. Com certeza a maioria dos paulistanos não conhece bem a imensa São Paulo. Achamos os paulistanos bem mais apressados e mais secos que os cariocas.

Como ficamos na Liberdade, reparamos que os japoneses são mais simpáticos que os chineses e coreanos. Coreanos e chineses pouco se misturam, além de serem mais rudes. Porém todos os orientais evitam olhar nos olhos, além de respeitarem bem a privacidade alheia.

Só ficamos realmente apreensivos na Luz ( Quando nos perdemos perto da Cracolândia) e na Praça da Sé. Constatamos que Sampa realmente é mais limpa que o Rio e bem mais policiada. O que falta ao Rio é “botar o bloco na rua”. Aumentar o efetivo da PM nas ruas, visando a prevenção & armar a guarda municipal ( Aí é chamada de Guarda Metropolitana ).

Quanto à violência parece que Sampa é como Brasília: tem uma violência mais na periferia. O “lixo” fica nos cantos da sala, enquanto que no Rio o “lixo” fica espalhado por toda a casa. Logo a sensação de “limpeza” em Sampa é maior. Isso me foi dito, em outras palavras, pelos próprios paulistanos. Aqui no Rio todos e tudo se misturam democraticamente. Vc literalmente nunca sabe quem está num barzinho tomando chopp ao seu lado. Pode ser um pastor, um político ou um traficante procurado. Cordialidade e mistura são nossas marcas registradas. Infelizmente nossas virtudes também são nossa grande sina.

Adorei Sampa. Descobri uma bela São Paulo, com seus inúmeros parques e várias etnias numa única terra. São Paulo tem diversos penteados, sotaques e idiomas. É o exercício mais belo de democracia e globalização que já vi na vida. Em São Paulo a cada dia descobri algo novo, uma sedução diária em cada esquina. São Paulo é Rock, Techno e Punk. São Paulo é Minhocão, Torre Banespa & Anhangabaú. São Paulo é churrasco coreano, esfiha e pizza. São Paulo é Água Branca, Ibirapuera e Aclimação. São Paulo é “Chinatown”, “Little Italy” e Bom Retiro. São Paulo é judia, italiana e japonesa. 14 dias foi muito pouco pra nós. São Paulo é pouco pra uma única vida…

Abraços mil & obrigado por tudo
Fabio – RJ

DICAS GASTRONÔMICAS ORIENTAIS
1 – Bolinhos de polvo (com molho de peixe/gengibre & deliciosos; Feira da Liberdade)
2 – Doces recheados de creme (baunilha/mel & bem macios; Feira da Liberdade)
3 – Churrasco coreano (delicioso & bem picante; Bom Retiro ou Aclimação)
4 – Picolé de melão & mousse de chá verde (Bakery Itiriki)
5 – Balas de melão & balas de flores (Supermercados da Liberdade)
6 – Chás gelados de flores (Supermercados da Liberdade)
7 – Bentôs (bandejas mistas de sashimis/sushis; Supermercados da Liberdade)
8 – Noodles (Miojos japoneses/coreanos originais) – Supermercados da Liberdade



One Response to “Sampaist respondeu… E o leitor agradeceu com dicas e fotos”

  1. Cada cidade tem sua marca, o Rio é lindo e charmoso… são Paulo é tudo o que se pode imaginar, como tudo que é demais tem horas que enjoa, mas na maioria do tempo é tudo de bom.
    Como o proprio camarada felizmente falou, São Paulo é pouco para uma unica vida, precisaria de umas 2, 3 só para descobrir todos os seus lugares e mais do que isso, o que realmente faz a cidade ser o que é, todas as suas pessoas.

    Abraços
    Ivan.