Vôo 3054: uma tragédia anunciada

topoacidenteagbrasil.jpg

Pelo menos 187 pessoas morreram no acidente do vôo JJ 3054 da TAM, que varou a pista do Aeroporto de Congonhas e se chocou contra um prédio da própria empresa na Avenida Washington Luiz. É claro que o Sampaist não ia deixar de falar desta tragédia, a mais fatal de todos os tempos de aviação no Brasil.

Esperamos a poeira baixar, cumprimos com nossos deveres profissinoais (as redações de jornalismo online nunca trabalharam tanto!) e agora vamos ver o que dá para tirar como lição desta história.

Até as 19h desta quinta-feira, 189 corpos foram retirados dos escombros no local do acidente. Somados às 4 mortes nos hospitais, o número de vítimas até o momento é de 193 pessoas. Os bombeiros estimam que este número pode passar de 200, já que somente o avião carregava 186 passageiros.

As causas do acidente ainda não estao esclarecidas. E, pelo jeito, vai demorar até que a gente descubra o que realmente aconteceu na última terça-feira. O que se sabe até o momento é que estava chovendo, a pista estava molhada e o avião teria acelerado após tocar o solo. Ainda não dá para saber se ocorreu falha mecânica, se o avião derrapou no final da pista ou se o piloto calculou de forma errada uma possível arremetida. Veja abaixo como foi o acidente:

Deixando os dado estatísticos e factuais de lado, vale levantar a discussão sobre a presença do Aeroporto de Congonhas na cidade de São Paulo. Um aeroporto que recebe 18 milhões de passageiros por ano, com centenas de pousos e decolagens por dia, pode estar instalado em uma das áreas mais densamente povoadas de Sampa?

Por outro lado, apesar da pista curta e da proximidade dos prédios, o acidente de terça-feira pode ter sido apenas uma fatalidade. Poderia ter acontecido em qualquer outro lugar, sem que Congonhas seja o principal vilão da história. Afinal, muitas pessoas defendem Congonhas dizendo que ele existe há tantos anos e com um índice de acidentes é muito baixo.

meiopostagbrasil.jpg
Uma homenagem aos bravos bombeiros e membros das equipes de resgate

Particularmente, não sei se a desativação total do aeroporto de Congonhas seja a melhor saída para o problema da aviação em São Paulo. O que dá para afirmar com certeza é que o espaço aéreo paulistano está saturado e precisava de mais um aeroporto grande em um local afastado. Assim, sobraria para Congonhas vôos locais, com aviões menores e com menos freqüência.

O que você acha de toda a polêmica? Já dá para apontar culpados? Deixe um comentário! (Para ver como se inscrever na hora de comentar, clique aqui).

Fotos e animação na Agência Brasil.



5 Responses to “Vôo 3054: uma tragédia anunciada”

  1. Congonhas para ponte aérea e vôos para o interior do estado SÓ. E um trem decente pra Guarulhos. Obrigada.

    Ligia

  2. O Problema não é o Aeroporto, que existe no local a muito mais tempo do que os moradores. O problema é a falta de planejamento das cidades brasileiras e a invasão de áreas públicas. Para quem não sabe, grande parte das áreas ao redor do Aeroporto foram invadidas e hoje o mesmo não pode crescer e nem ter uma terceira pista por causa das invasões. Assim como acontece com as áreas de manancial das represas que abastecem a nossa cidade de água.

    O Aeroporto de Congonhas é necessário e viável, assimo como o Aeroporto de LaGuardia em Nova Iorque entre outros.

    Basta que para isso, nossos governantes tomem vergonha na cara e comecem a ter um planejamento maior do que os 4 anos do seu mandato.

    A aviação civil só está no estado em que está por causa do descaso do governo federal, assim como a saúde, no caso da já esquecida crise da Febre Aftosa ( que por sinal corre o risco de voltar ) e dos hospitais públicos e a crise da Educação… Como um organismo vivo, nossos órgãos estão entrando em colapso, e o Brasil vai morrendo a cada dia por inanição.

  3. A quem mora em Congonhas e se sente ameaçado pelo Aeroporto, deixe de pensar no individualismo e pense no coletivo.

    Garanto que os 18 milhões de brasileiros que passam por lá todos os anos são muito mais representativos do que a quantidade de moradores do bairro, que se formou ao redor do Aeroporto DEPOIS do mesmo já estar insituído no local…

  4. - Avião de grande porte…
    - Avião para 160 passageiros, com mais de 180…
    - Tanques bem cheios…
    - Pista não concluída…
    - Edificações que não proporcionam bom ângulo de descida…
    - Pista -auxiliar- molhada…

    Seria uma exceção, se fosse bem sucedido esse pouso.

  5. Olha esse link pro ig!!!
    Ficou estranho…………….. rs