Tutti Buona Gente

Gigio1.jpg Cantina italiana em São Paulo não é difícil de achar. Na verdade, todo bairro tem a sua. Mesmo com mais de trinta anos de tradição, só fui conhecer a famosa Cantina Gigio há semanas.

Ela fica em uma rua não muito convidativa no meio do Brás, cheia de lojas com fachadas decadentes e um silêncio de dar medo à noite. Mas de longe, quando você vê a plaquinha iluminada em frente ao restaurante, já dá para se ter uma idéia do que vai achar lá dentro. A decoração não engana: imagens de santos, as toalhas em xadrez vermelho ou verde, pedaços de queijo pendurados no teto, um “púlpito” ao centro aguardando o cantor da noite, e inúmeros quadros que mostram como era a cidade de São Paulo antigamente.

O garçom avisa: “o prato aqui é bem servido”. É difícil não perder o controle no buffet que fica na entrada. Há desde ostras e casquinhas de siri, a dezenas de tipos de queijos e patês. Um enorme pão italiano com recheio de calabreza também fica exposto, sendo trocado de hora em hora por um quentinho. Basta se servir e pesar.

Nas mesas, garrafas de vinho tinto. Na carta, há vinhos baratos de até R$ 13,00, e os que custam mais de cem reais. Para todos os gostos e bolsos.

Gigio2.jpgComeça o som ao vivo, e o tenor italiano é na verdade, japonês (foto). Há várias fotos dele espalhadas pelo restaurante, uma delas, com o apresentador Jô Soares, fica em frente ao palquinho montado para ele. O cara é A celebridade local: recebe aplausos enquanto caminha até o “púlpito”, pára em algumas mesas e recebe abraços, e fregueses gritam “u-hu” antes mesmo da primeira nota do teclado. Percebendo que somos novos no pedaço, ele vem até a nossa mesa e diz que “é um italiano que fez plástica para parecer um japonês, mas que lá é tutti buona gente “. É também engraçadinho.

Ficamos nas massas, mas no cardápio, há vitela, cabrito, coelho e frango. Um quadro na parede oferece frutos do mar e “deliciosas rãs temperadas com alho”. Não seguimos a recomendação do garçom e exageramos na dose. Um prato serve, sem exagero, três pessoas com fome. Quando tivemos que pedir que embrulhasse para levarmos para casa, ele recomendou que da próxima vez, pedíssimos “meia porção” para cada duas pessoas. Recado dado!

O ambiente é familiar, mas é ideal para ir com uma turma de amigos. Dá para comer e beber a vontade por muito pouco! O lugar fecha às 0h, então comece a noitada cedo.

Cantina Gigio // Brás: R. do Gasômetro, 254 // Telefones: (11) 3228-2045, (11) 3326-5340
Cantina Gigio // Pinheiros: Rua dos Pinheiros, 355 // Telefones: (11) 3064.6823, (11) 3081.8419
Diariamente, das 11h30 à 0h.



One Response to “Tutti Buona Gente”

  1. Fui e gostei! Valeu pela dica.
    Só a rua que realmente não é nada convidativa (o que, por outro lado, é legal por dar uma cara de “secret place” ao restaurante).

    Quando fui, só o “não japonês” da foto – o de bigode – estava tocando. Mandava bem enquanto cantava em italiano…