Primeiro!

starbucksfachada.jpg

baires_lemp_299.jpg Ok, nós até que tentamos, mas não fomos os primeiros clientes da nova loja do Starbucks, na Rua Amauri. Chegamos por lá bem cedo, por volta das 8h30, mas algumas pessoas que trabalham na região já estavam confortavelmente sentadas nos sofás da loja, degustando os diversos tipos de café.

Com a loja ainda vazia, pudemos escolher com calma nossos pedidos. Um ponto positivo da visita foi o atendimento dos balconistas, bem menos afobados e inexperientes que os funcionários que enfrentamos na estréia do Shopping Morumbi.

Outro ponto positivo que anotamos é o deck logo na entrada, com mesas de madeira quase na calçada. Em dias de clima ameno como hoje, é uma ótima pedida. É mais agradável para ver e ser visto, um dos fortes da Rua Amauri. Se quiser mais privacidade (ou se quiser se esconder do chefe), suba até o mezanino e aproveite os sofás espalhados.

Sabemos que depois deste post vamos receber as já tradicionais críticas: “americano não sabe fazer café”, “é estúpido quem paga tão cara por um café”, “bla, bla, bla bla…”. Se você pensa que “americano” (não vi nenhum por lá) não sabe fazer café, experimente o “Expresso Brasil Blend”. Melhor e mais forte que muito café que a gente toma por aí.

O preço cobrado pelo Starbucks não é dos mais baratos. Mas também não é um absurdo, principalmente na Rua Amauri. Um café expresso na finada “Pracinha” não saia por menos de R$ 2,50. No Starbucks, sai por R$ 3,00. Se contarmos a diferença de atendimento, o conforto e o wi-fi de graça, até que vale o preço, não?

Starbucks // Rua Amauri, 268 // 8h às 00h



5 Responses to “Primeiro!”

  1. seila, o q é mais legal e tbm maior filão do starbucks mesmo são em si as invenções deles nas bebidas a base de café! os frapuccinos, mochas, caramel macchiato iced.non-iced etc.
    sinceramente acho q nunca pagaria 3 reais num espresso simples. c bem q concordo que o Brasil blend eh legal, provem tbm o Colombian Supremo e o Guatemala, os unicos q eu acho q valem a pena…mas resumindo, c vc quer aquele famoso ”cafézinho” q vc toma na padoca, o starbucks não é o lugar mais indicado!

  2. Aqui no Brasil vai continuar como coisa de grife por algum tempo, mas na Europa e nos EUA a Starbucks é, junto com Wal Mart e outras multis, responsável pela destruição do comércio de bairro e pela criação de monopólios que acabam com as economias locais

    A tática é a mesma em todos os países: eles abrem um do lado do outro, nos bairros chiques, e vão quebrando um a um os empreendimentos nacionais.

    Mais sobre o assunto
    http://www.letra.org/spip/article.php?id_article=688

  3. - Antoine, valeu pelas dicas. Vou experimentar o Colombian e o Guatemala. Concordo com você que cafézinho de padoca não tem igual. Principalmente se for daqueles com coador de pano. Café e pão na chapa, uma tradição matinal!

    - Thiago, concordo que nos EUA essas grandes redes acabaram com o comércio de bairro (principalmente o Wal Mart). Acho que aqui no Brasil isso ainda é meio difícil acontecer, mesmo com as grandes redes de supermercado. Você pode ver que os mercadinhos e quitandinhas ainda sobrevivem firmes e fortes. Ainda vou ler com calma o artigo que você passou. Obrigado pelo link!

  4. Americano não sabe fazer café, mas sabe cobrar. Experimente o Illy.

  5. Ainda não entendi porquê tanta pagação de pau pra Starbucks!!!!! Nos EUA virou sensação pois não se pode tomar um café decente na padaria da esquina, é tudo chá-fé, água de coador. No Brasil, ao contrário, temos cafezinho de primeira até em boteco de copo sujo.
    Concordo com o Thiago sobre a tática da empresa… até em Paris eles já estão se espalhando, é impressionante – obviamente, só turista deslumbrado é que vai beber café na Starbucks em Paris.