Sampaist Ao Vivo: The Bellrays @ Inferno

bellrays4a.JPG

Esse post é uma contribuição do jornalista e fotógrafo Ulisses Barbosa especialmente para o Sampaist.

O Inferno pegou fogo

A banda americana BellRays fez na noite de quinta-feira, 31 de maio, um show memorável no Clube Inferno em Sampa. Formado na Califórnia no início dos anos 90, inicialmente como um duo de Jazz e R&B, pela vocalista Lisa Kekaula e pelo guitarrista Bob Venumm, o BellRays alguns anos depois incorporou Tony Fate e Ray Chin, na guitarra e bateria, respectivamente, fazendo Venumm assumir o baixo.

A banda mudou de cara, deixando o R&B e o Jazz de lado e desenvolvendo uma pegada mais punk, mas enérgica. As influências do quarteto vão de Iggy Pop and the Stooges a MC5, passando até por James Brown. A voz potente de Lisa é freqüentemente comparada com a de Tina Turner, mas Lisa é bem mais cool. E como o cool e o hype andam juntos, a banda caminha no limite de ambos. Toca em pequenos clubs no EUA assim como em grandes festivais na Europa. Tem música na trilha sonora de comercial de carro, mas sempre lançou seus álbuns por gravadoras independentes. A banda passou os últimos anos fugindo do hype promovido pelas bíblias indie NME e Pitchfork.

Durante mais de uma hora de show, o BellRays apresentou músicas dos sete álbuns lançados desde 1999. Lisa não parava de se mexer no palco: dançava, pegava chocalho, largava chocalho, pegava pandeiro, largava pandeiro, pulava, gritava e cantava, e cantava muito! Ver Bob Venumm é um caso à parte, o cara é uma mistura de Mark Arm com Iggy Pop! Na hora do bis, Lisa volta ao palco gritando: “Viemos de muito longe pra cá pra poder fazer muito mais barulho do que isso”, como se a última hora não tivesse sido cheia do mais puro e barulhento ‘rock and soul’.

O grupo encerrou a apresentação com um cover de ‘Highway to Hell’ do AC/DC. Épico, afinal naquela noite, todas as avenidas levavam ao Inferno.

Texto e fotos por Ulisses Barbosa. Se você quiser ver um texto seu no Sampaist, entre em contato!



Comments are closed.