Um domingo na festa de São Vito

saovito.jpg

Mesmo morando em São Paulo desde criança, este que vos escreve nunca tinha ido à festa de São Vito, tradicional evento que acontece no Brás há quase 90 anos. A falha no currículo foi resolvida neste domingo, com uma visitinha à rua Polignano a Mare, logo ao lado do Parque Dom Pedro II. Para quem gosta de comida italiana, é um programa imperdível. Há barracas de várias comidas típicas (lazanha, nhoque, polenta) e não típicas também (tempurá e yakisoba). A mais concorrida (mais de meia hora na fila) é a da ficazella, uma espécie de fogazza. Muito boa!

E há os doces também. Numa mesma barraca, dá para escolher entre os mais diversos pavês, bolos e pudins. São gostosos, mas não é nada que vá ficar na memória. Já o amaretto, um biscoitinho de amêndoa… Esse vale a viagem. E costuma acabar rápido! O bom é que quase tudo custa três reais. Ou seja, com quinze reais você come uma ficazella de entrada, passa para a polenta (deliciosa) e depois come um pudim de sobremesa. Com os seis que sobraram, bebe um vinho quente e leva um pacotinho de amareto para casa.

É possível também pagar um preço fixo (R$ 35 no sábado e R$ 15 no domingo) e ficar nas mesinhas em frente ao palco, com direito a um menu fixo. Pode até ser mais confortável (e com a vantagem – ou desvantagem, dependendo do seu gosto musical – de ver os shows de música italiana de perto), mas o divertido mesmo é ficar zanzando entre as barracas.

Além desses shows, há ainda outras atrações não gastronômicas por lá. As melhores são três exposições de fotos, dentro do Centro Cultural São Vito: uma com imagens do Brás feitas por fotógrafos do Grupo Luminous, outra com fotos feitas por moradores do bairro e mais uma com cliques de São Paulo do ótimo Tuca Vieira.

Para quem vai de carro, há um estacionamento na Avenida Mercúrio, a um quarteirão da festa. Também dá para ir de metrô – é só descer no Parque Dom Pedro e andar umas seis quadras. Mas o caminho é meio deserto e escuro, então é bom tomar cuidado.

89ª Festa de São Vito // Sábados e domingos, até 08 de julho // Sábados, a partir das 20h; domingos, a partir das 19h // Rua Polignano a Maré, no quarteirão entre a Avenida Mercúrio e a Rua do Lucas

Foto do meu Flickr.



2 Responses to “Um domingo na festa de São Vito”

  1. Polenta deliciosa?? Desculpe, mas você não experimentou a da San Gennaro (na Mooca, que começa lá pra agosto). Esta da São Vito é pronta, era um pouco dura, o gosto bem esquisito, fiquei bem decepcionada. De resto, as coisas lá são muito boas, a ficazzela é realmente imperdível…

  2. [...] passado, o Guto fez um passeio pela festa e postou seu relato: Para quem gosta de comida italiana, é um programa imperdível. Há barracas de várias comidas [...]