A peça pública virou privada

Banheiro.jpgTá ali na Av. Faria Lima, perto da Av. Juscelino Kubitschek: a ação publicitária feita em um ponto de ônibus tranforma o assento destinado às pessoas que usam o transporte público em vasos sanitários (mais fotos aqui).

O painel vertical de propaganda atrás do banco traz uma imagem que reproduz azulejos — com direito a registro de água. Banheiro1.JPG Em cada divisão do assento foi colocado um encosto branco que imita uma tampa de vaso sanitário levantada. E lá fica você, esperando o ônibus e fazendo parte da cena sanitária.

É verdade, o encosto deixou o banco mais confortável. Mas, convenhamos, qualquer um tem direito de se sentir humilhado por ser obrigado a fazer parte da propaganda, digamos, íntima (ah, é de um laxante…) para poder esperar o ônibus sentado — como se não bastasse a humilhação diária que já é depender do transporte público em Sampa.

E então, é criativo, engraçado? É um acinte, absurdo? O iG fez uma enquete (até aqui com resultado apertado, o que parece adequado ao tema). Estamos sem papel, mas você pode deixar suas impressões aí embaixo.

Fotos: Último Segundo (desencanem do fotógrafo refletido no azulejo…)


Brief explanation in English:

A laxative marketing campaign is turning bus stops in São Paulo into big public restrooms.

Banheiro.jpg Banheiro1.JPG



10 Responses to “A peça pública virou privada”

  1. mas quando vc escreve pra desencanar do fotógrafo, é aí que percebemos ele na imagem.
    e assim, não é possível desencanar dele.

  2. A idéia é que quem adivinhar a identidade do fotógrafo poser ganha um brinde.

  3. Eu sei quem é o fotógrafo poser, eu sei! O fotógrafo é “um tal de” Athos Henrique Sampaio (tá nos créditos da galeria de fotos do Último Segundo, no link citado). Cadê meu brinde? :D

    E eu achei o fim da picada. Desvaloriza o usuário de transporte público e o próprio transporte público. Pra você ver como pagando você pode até humilhar o usuário do sistema que a Prefeitura não liga.

    É como colocar anúncio de moto no bilhete único, ou na “Bus TV”. A propaganda acaba passando aos usuários do sistema a imagem de que o automóvel particular ou a motocicleta são a “evolução natural” para quem usa transporte coletivo.

    O transporte público precisa ser valorizado, melhorado e utilizado cada vez mais, para ajudar os próprios motoristas dos carros. Afinal, cada usuário de ônibus é potencialmente um carro a menos… Ou vamos incentivar cada vez mais gente a usar carros e entupir mais ainda as ruas? Não tem mais espaço!! Sem contar a poluição, pois uma moto levando no máximo duas pessoas polui mais que um ônibus levando cinqüenta ou cem! (e não venham me dizer “ah, mas o ônibus roda o dia inteiro e a moto só meia hora”, porque nesse dia inteiro ele deve transportar no mínimo umas mil pessoas)

    Como dizem nos comentários dessa página, seguindo essa linha poderiam começar a colocar anúncios de planos de saúde privados no teto dos corredores de hospitais públicos. Ou alguma outra coisa que faça o usuário do serviço se sentir mal de estar ali. Põe no teto acima do leito: “O fulano aqui da foto está curtindo as férias na Bahia. E você, vai ficar aí parado?”

    Essa propaganda da foto só serve pra mostrar que a empresa de publicidade está “cagando” pra quem usa transporte coletivo. A propaganda é feita pra quem passa de carro, como se os 70% da população que NÃO TÊM transporte particular, mais os sabe-se lá quantos que só usam o carro no final de semana, não comprassem nada.

    Não sei quem é pior, o publicitário que teve a brilhante idéia, a empresa que aprovou e pagou pra fazerem isso, ou a Prefeitura que deixa uma empresa privada humilhar os usuários do transporte público em nome do dinheiro…

  4. Ahhhh!!

    que frescura!

    Pô! VC não caga?
    sua mãe nao caga?
    Seu avô não caga?

    Todo mundo faz coco!!!!!

    Baita puritanismo se sentir ofendido com isso…

  5. cagar é da nossa natureza, se fosse a propaganda de um tenis garanto que ninguém ia reclamar, mas usar tenis é normal, e cagar é falta de respeito né… e vão toma no cu!

  6. Concordo, puritanismo besta deixemos c/ os americanos lá de cima! E se o assento ficou mais confortável, é o q importa! rs

  7. ahhh.. isso é conhecido como “mídia alternativa”, é um estilo de mídia que está em desenvolvimento, pois cada vez está ficando mais difícil e complexo atingir o “público alvo” que antigamente se concentrava em 99% em mídias de massa hoje em dia esse número ja diminuiu para quase 63% então novas mídias têem que surgir e as alternativas estão se mostrando, muito úteis, um exemplo foi o lançamento do filme super-man que colocaram uma peça nos elevadores do shopping iguatemi ^^ ok? e nunca que uma agência ia agredir uma classe social dessa forma.. você está com os olhos vendados se afirmar isso.. mas bem que ficou interessante e na minha opinião pode-se até fazer uma brincadeira ” ahaha pobre só faz merda mesmo, lugar perfeito ” ahahaha ^^ just a joke …

  8. Uma idéia um tanto quanto infeliz. O ponto não é se a agência acha que não está agredindo, mas sim se o público se sente agredido – e temo que uma fatia substancial do público usuário se sentiria constrangido.

    Mm, em resumo, mico. Good luck next time.

  9. [...] Vejam aqui a propaganda que algum “criativo” resolveu fazer nos pontos de ônibus da cidade. Não vou me alongar descrevendo a campanha aqui, pois já está bem documentada com fotos nessa matéria. [...]

  10. Essa peça é, sem trocadilho, uma merda.