Virada Cultural: Alceu Valença, João Donato, Jards Macalé, Erasmo e Cauby

teatromunicipal060507.jpgOs sinos da Catedral da Sé emitiram as primeiras notas oficiais da terceira edição da Virada Cultural, que ainda está rolando pelo centro de São Paulo e por outras regiões da cidade. A festa começou com Alceu Valença, que tocou praticamente todo “Espelho cristalino”, álbum de 1977. “Vai São Paulo, canta essa música que vocês não conhecem”, brincou o cantor.

E ao terminar o disco, atacou de uma impecável seleção de clássicos, como “Anunciação”, “Coração bobo”, “Táxi Lunar” e “Morena tropicana”. O prefeito Gilberto Kassab apareceu durante o show e resolveu ir embora no meio de “Xote das meninas”. Podia ter esperado pelo menos acabar a música, né? :D

De lá, passamos no Palco Rock da Barão de Itapetininga, toda enfeitada com vinis pendurados nos fios, para conferir um trecho do show do Tutti Frutti (e sentir muita, MUITA saudade de Rita Lee). Dentre os hits, eles tocaram “Mamãe natureza”, “Lá vou eu” e “Jardins da babilônia”.

Hora de João Donato e sua releitura de “A bad Donato”. Teatro Municipal lotado, acompanhado de baixo, bateria, sopros e seu filho Donatinho, que atacava de “teclado hero”, sentando no palco e brincando com os outros músicos. Mal deu tempo de tocar todas as músicas do disco e lá veio um triste aviso da produção: hora do bis! :( A sorte é que a escolhida para encerrar a noite foi “Bananeira”, durante a qual Donato se divertiu andando pelo palco com o teclado de Donatinho.

Pausa para jantar no sensacional rodízio de comida árabe do Almanara que fica na rua Basílio da Gama, uma paralela da 7 de abril (aliás, uma ótima pedida pra quem vai participar da Virada no domingo. E lá fomos para a apresentação do Clube do Balanço, que além de ter transformado o Palco Boulevard São João em um baile, ainda teve participação especialíssima de Erasmo Carlos, que, quem diria, é bem letrado no samba-rock!

Pulinho rápido no Palco da Vieira de Carvalho para pegar um pedacinho do show de Cauby Peixoto. Só deu pra ouvir um pedacinho de “Ave Maria”, e lá se foi Cauby. Em seguida, entra Agnaldo Timóteo para cantar “Nossa Senhora”. O show não durou muito e antes que a outra atração chegasse, o público dançava na pista de baile montada diante do palco ao som de “Tão somente uma vez”.

Teatro Municipal de novo para ver Jards Macalé tocando seu primeiro disco, de 1972. E, bônus total, com Lanny Gordin na guitarra! Difícil escolher quais as melhores partes de um dos melhores shows do ano, mas Jards, que esqueceu a letra de “Farrapo humano”, recitando com a ajuda de uma cola, e a linda, linda, linda versão de “Movimento dos barcos” só com ele e Gordin, com direito a citação de “Estrada do sol”, foram de tirar o fôlego. Ah! E como golpe de misericórdia, “Vapor barato” no bis.

E não acabou, pessoal! Clique aqui para conferir a programação do que ainda vai rolar até 18h!

Foto: Ainda muita, muita gente nas ruas do centro na madrugada de hoje



2 Responses to “Virada Cultural: Alceu Valença, João Donato, Jards Macalé, Erasmo e Cauby”

  1. Marcela perdeu o momento mais emocionante do performance do Agnaldo Timóteo. O político homofóbico faz erro em cantar frente a um público 100% gay na Vieira de Cavalho. Os espetadores gritou “buuuuuu” e o Agnaldo teve de terminar cedo seu concertinho com uma despedida sarcástica de “Obrigado pelo carinho!”

  2. Eu cheguei a ouvir as vaias! Eu só queria entender de onde ele tirou essa homofobia… Como assim!?!??!?!? ;P