Regina AMA política que não ama ninguém

AmaReginaAma.JPG

Duarte imita a vida e a vida imita Duarte, não é mesmo? Daí Regina aparece num comercial da Prefeitura e ouvimos blá, blá, blá, AMA. Blá, blá… AMA. Calma aí, AMA? Calma aí, Regina Duarte em comercial da Prefeitura? É a atriz de novo às voltas com a política. E não foi só o Sampaist que notou.

O polêmico “discurso do medo” foi uma longamente comentada participação nacional às vésperas do 2º turno em 2002, mas houve outras aparições (sempre muito coerentes, é bom ressaltar, concordemos com o conteúdo ou discordemos dele) antes e depois.

A estréia foi em campanha para o Senado em 1978 (ela comentou a forcinha para o então candidato Fernando Henrique Cardoso na Playboy da época em que vivia a viúva Porcina ). Depois teve novo apoio público a FHC na eleição para a Prefeitura de São Paulo (aquela, da cadeira…), várias campanhas com Mario Covas.

Voltemos a 2007. Pra acalmar quem ficou com medo, a AMA da Prefeitura, ou Assistência Médica Ambulatorial, não tem nada a ver com a da novela. A AMA das 20h era uma casa de cultura — embora tivesse lá seu lado social, já que empregava metade do elenco.

Em Sampa, a AMA atende, sem agendamento, casos de baixa e média complexidade nas áreas de clínica médica, pediatria e cirurgia geral ou ginecologia. A idéia é ampliar o acesso para quem precisa de atendimento imediato para problemas mais simples. É um projeto lançado em 2005 por José Serra — que bateu Marta, nome da rival da Helena de Regina na novela da outra AMA. Caramba. Quer mais? Regina fez turnê recente pelos CEUs, de Marta (a do PT), mas já na administração tucana.

AMA, CEUs… Abaixo o nonsense deste post. A única conclusão impossível é a de que trabalha duro essa galera que inventa acrônimos para administrações locais e novelas das 20h.

Fotos: AMA-Regina-AMA; divulgação-reprodução-divulgação



4 Responses to “Regina AMA política que não ama ninguém”

  1. Porque nada apareceu ainda no Sampaist sobre o Paulinho da Força Sindical e o gafe dele ontem sobre ambientialismo sendo uma “coisa de veado”? Chance bem raro para um poste hilario..!!

  2. Foi meio dificil de seguir, sobretudo por causa das desculpas (minhas):
    - quando passava Roque Santeiro, eu não gostava de novalas e so parava para assistir os momentos em que aparecia (ou não…) o lobisomem.
    - cabulei as ultimas eleições
    Mesmo assim, graças aos liks, consegui entender o que o Athos disse… e achei otimo e inquietante.
    Em uma sociedade como a nossa, que tem na novela grande parte de seu interesse, como isso se colocaria? Quero dizer: o brasileiro padrão, que trabalha como um camelo e chaga em casa querendo ver de tudo, menos essa porcaria de politica… Sera que ele um dia enxergara o joguinho? E, se isso acontecer, qual sera a reação? Os conflitos entre direita e esquerda no Brasil sempre foram difusos… Mas, talvez, quando eles se definirem, Regina Duarte devera escolher entre Serra e o Céu.

  3. Eu tenho medo.

  4. Moça bonita!