Exposição de fotografias revela São Paulo

A exposição São Paulo – Fotografias reúne olhares diversos sobre instantes da nossa amada metrópole. A cidade e seus desdobramentos!

Na mostra, que acontece no Espaço de Cultura Contemporânea Escola São Paulo, estão expostas imagens realizadas na capital, tanto em estúdio quanto em locação.

Os trabalhos, sintonizados com as vivências e pulsações dos moradores da caótica urbe, promovem uma reflexão sobre a identidade e os laços culturais singulares de Sampa.

O cocktail de abertura acontece hoje, das 18 às 22h.

Veja algumas imagens da exposição:

Escola São Paulo: Rua Augusta 2239// Tel.: 11 3081.0364// segunda a sábado da 10h às 19h//
Grátis

Soletrando no Metrô

operariosmetropb.jpg O Consórcio Via Amarela, responsável pela construção da Linha 4 do Metrô, a que afundou em Pinheiros, promove hoje às 19h00, no auditório do Canteiro Central da Obra, a formatura da sua terceira turma de alfabetização.

Os 24 alunos formandos são funcionários do Consórcio e participaram por oito meses do Projeto Educacional Soletrando.

Que foi aprovado recebe diploma equivalente a 4ª série, o que possibilita a continuidade dos estudos em escolas da rede pública. O Projeto Educacional Soletrando é uma iniciativa do Consórcio Via Amarela, implantado em 2006 como parte das atividades de Responsabilidade Social da empresa.

As aulas são ministradas nos próprios canteiros de obras do bairro do Jaguaré, na Estação da Luz e Estação Butantã. Até o final do ano, o Consórcio Via Amarela espera alfabetizar um total de 150 operários. Desde que os canteiros de obra continuem firmes onde estão, sem deslizar por aí…

Hoje, às 19h // Canteiro Central da Obra // Av. Queiroz Filho, 1365, Jaguaré

Foto do Flickr do R. Motti.

Extra, extra

fotopedagio.jpg

- Feriadão: 1,3 milhão de carros deixarão SP; motoristas devem evitar viajar das 14h às 22h.
- Grupo musical RBD se apresenta nesta quinta (26) e sexta (27).
- Problemas técnicos provocam fila na sede da PF.
- Executivos estrangeiros aprendem a liderar em favelas brasileiras.
- Cruzamento das Avenidas Ipiranga e São João será palco de festa da CUT.
- Prédio onde mora Ana Paula Arósio é assaltado.
- SP vai ganhar estátua do santo que deu nome à cidade.
- Estudantes são presos na USP por agredir ciclistas.

Foto do Flickr de Marcelo Sardela.

Sétima arte ao ar livre e de madrugada

imagemunibanco.jpg

Ah, quem respira cinema ficará um tanto quanto animado com a novidade: entre os dias 1º, próxima terça-feira, e 13 de maio, a Rain Brasil realizará uma mostra de cinema ao ar livre, ali no Parque da Juventude, na Zona Norte da Capital.

O evento, gratuito para todo e qualquer cinéfilo, conta com o apoio da Sony Ericsson.

Outra empreitada cinematográfica da Rain atende pelo nome de “Odisséia”, e acontece no próximo dia 04 de maio no Espaço Unibanco, aquele velho cinema de rua conhecido dos transeuntes da Rua Augusta.

Trata-se de uma madrugada inteira recheada de exibições de filmes inéditos, ainda não divulgados para a imprensa.

Fique de olho!

Crédito//Foto: Flickr danny canatto

Paticumpá no Auditório do Ibirapuera

DSC00335.JPG

O Duo de percussionistas Paticumpá, que alguns consideram o Blue Man Group brasileiro, tocará no Auditório Ibirapuera.

A dupla se apresentará junto com instrumentistas de primeira como: Alessandro Penezzi, Carolina Cervetto (AR), Danilo Penteado, Tibô Delor (FR), Rubinho Antunes, Vitor Mateus e Daniela Cervetto (AR).

O espetáculo mescla música erudita e popular a uma apresentação cênica com movimentos, cores e efeitos de luz. Depois desses shows eles embarcam para uma turnê pela Europa.

Paticumpá // Dia 27 às 21h, 28 às 20h30 e 29 às 20h30 // Ingressos: R$30,00 // Auditório do Ibirapuera, Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 2

Sampa na WIRE: Galerias de Arte salvam a Música Eletrônica

globalearsaopaulo.jpg

A revista inglesa WIRE faz mensalmente um “levantamento sonoro” de um lugar qualquer do planeta. Nessas páginas dedicadas ao “Global Ear”, valem as bandas locais inusitadas, os lugares por onde elas tocam, o que se ouve, o que se dança, prováveis influências estrangeiras, etc.

Com um imperdoável atraso, só hoje colocamos aqui o especial “Global Ear: São Paulo que a revista publicou na edição de abril, ainda nas bancas.

Em duas páginas, o jornalista Martin Longley consegue disparar dezenas de nomes de bandas, cantores, galerias, e espaços culturais que ele conheceu por aqui. Provavelmente um gringo lendo a matéria ficará totalmente perdido – ou muito cansado.

São tantas referências, que só um paulistano consegue acompanhar com fôlego a “jornada sonora” a que ele se submeteu.

Descrita como uma cidade “com os nervos à flor da pele”, São Paulo seria o centro ideal para abrigar a música eletrônica em todas as suas formas.

Nem jazz, nem folk, e talvez punk-rock. A conclusão de Longley no artigo é que esse nervosismo tipicamente urbano da cidade, faz com que a cena eletrônica seja inerente ao paulistano. Nada mais apropriado para uma cidade imensa que é um “amontoado de concreto”, ele diz. No bom sentido.

A cidade é imensa, mas não o suficiente para abrigar a quantidade de bandas e estilos musicais. Segundo ele, são as galerias de arte paulistanas que estão salvando o eletrônico experimental. Com falta de noites dedicadas ao gênero em clubes locais, são elas que estimulam e dão vida à cena. Galeria Vermelho, o MIS, Itaú Cultural e até a Pinacoteca foram os lugares visitados por ele não pelas exibições, mas pelos shows que ofereciam!

Dando início às longas citações, ele vai de CSS a Marcelinho da Lua. De Bonde do Rolê a Tom Zé. Cita shows no bar Milo Garage e elogia as 16 unidades do SESC espalhadas por São Paulo.

Ele se encanta com Maurício Takara e se decepciona com os Mutantes ao vivo no Parque da Independência:

“(Os Mutantes) estão tão em transe com o legado dos Beatles, que a realidade foi mais sem graça do que se imaginava.”

Haja pique!

Para checar todas as bandas e locais citados, leia o artigo na íntegra, clicando aqui.

* Na sua opinião, qual estilo musical tem a cara da cidade?