Aerosmith em São Paulo de segunda a quinta

não é a cara do papai?

Então lá fomos nós, numa quinta, para o show de uma banda de segunda. Pois é isso que o Aerosmith sempre foi, vamos insistir no que você já deve ter lido/visto/sentido por aí. Morumbi cheio, mas não tão cheio — ideal.

A abertura do Velvet Revolver (o ex-vocalista do Stone Temple Pilots + todo o Guns, menos o vocalista) empolgou muitos fãs espertos. Slash em carne e osso brincando de guitarra pra galera com cartola e cigarro na boca.

Intervalo, arquibancada animada com uma ola que funciona após a terceira tentativa. A segunda banda (a de segunda) promete, parece. E surge no telão (palco simples, sem firula) uma animação tosca de um globo terrestre… Depois qualquer coisa como uma multidão… Depois uma bandeira do Brasil digital-fake-estranha. Gritos.

Steven Tyler e companhia começam com “Love in an elevator”. Você já percebeu que o intuito não era caprichar na boa-vontade com os vovôs, né?! Pois não deu. Caramba, Falling in love is so hard on the knees…

O início do show teve pedaço de letra de música no telão, clipe com a Alicia Silverstone (da “Cryamazy trilogy”. Quem? Aqui), “o-bry-ga-diu” e quetais. Depois a banda ficou à vontade, com Steven Tyler mais solto no palco, cheio de bocas, gritos roucos e gestos-magros-esquálidos só na intimidade com Joe Perry (if it ain’t sexy it ain’t rock ‘n’ roll), alternando hits mais novos com outros nem tão novos assim. Dream On, Cryin’, Rag Doll.

Até o auge. Aos primeiros acordes, celulares em punho. “I could stay awake/Just to hear you breathing…”. Pois é. A música babaca de Diane Warren feita para o filme “Armageddon” foi a única a mobilizar geral o público. Daí meio que se explicam as notas pré-show identificando o vocalista do grupo como “o pai de Liv Tyler”. Putz.

A apresentação não foi imperdível e arriscaria dizer que, logo, logo, ninguém vai se lembrar dela. Mas boa parte da culpa foi de quem estava fora do palco. Poucos se mexeram para pedir o bis. Quando ele veio, a empolgação foi mínima com o super-hit Walk This Way, que tirou o Aerosmith do ostracismo nos anos 80. E todo mundo ficou sem Crazy, Amazing e Hole in My Soul sem reclamar.

A impressão foi a de uma platéia mal-informada, que estava ali para ouvir Bon Jovi, A-Ha, Bee Gees, Menudo, Fábio Júnior — qualquer coisa pra ficar abraçadinho e passar o tempo. Tempo que, quando acabou, deu lugar a gritos de torcida e empurra-empurra na saída. Que saco.

O Aerosmith — aquele, de segunda — está longe do messianismo arrebatador dos Roger Waters e U2s da vida. Mas merecia bem mais que o público de quinta do Morumbi.

Foto: divulgação. O show foi do pai da moça



38 Responses to “Aerosmith em São Paulo de segunda a quinta”

  1. De fato, o público era de quinta, mas não acho que a banda era de segunda.

    Você deve ter perdido o começo quando todo o povo na pista pulava e cantava enlouquecidamente clássicos como Dude Looks Like a Lady, What it Takes, Janie’s Got a Gun, entre outras. Vai ver você ficou na arquibancada e fez parte da ola (que aliás é ridículo, vai?)

    Ok, só os tiozões cantavam Jaded, o que eu achei lamentável. Mas também não dá pra julgar um show pelo público, que nesse caso era em sua maioria um bando de pivetes.

    Embora eu tenha saído do show frustrada por não ter ouvido Crazy, Hole in My Soul e Amazing (assim como você), achei que pelo menos a primeira hora de show foi sensacional, com uma seqüência de clássicos no começo bastante empolgante.

    Pena que foi só a primeira hora… ainda assim, não acho que se justifica sua análise.

    Como diria um famoso professor meu da faculdade: sofrível!

  2. Minha cara, a banda sempre foi de segunda. Só ganhou fama de banda de primeira muitos anos depois de aparecer. Não entendo nunca qual é a dos fãs. Não conseguem ler uma porcaria de uma crítica, mesmo que seja potencialmente positiva (e ponto, senão não seria crítica). É um saco, basta não rasgar seda e falar o que de fato é, doa a quem doer, que o lance vira “sofrível”. Os caras deram um show, mas são sim uma banda de segunda e a platéia era mesmo um tédio. Isso não impede que você ou o povo que tava na arquibancada e brincou de fazer ola (cacete, quantos anos você tem pra achar algo ‘ridículo’, moça? Isqueiro, celular em punho, vamos lá: é tudo a mesma babaquice, mas nada pode ser tão besta quando se trata de um show de rock) tenha curtido e ainda assim saído de lá com um retrogosto estranho, sentindo falta de alguma coisa. E viva esse post, que foi a melhor análise que já li sobre o show de uma banda que não tem mais um público pra chamar de seu.

  3. Ahaha viva a ola, mas fiquei na pista. E o Aerosmith rocks. Fã pula e canta enlouquecidamente e isso é mto legal. Faltou fã no show da excelente banda de segunda.

  4. OK, a banda é de segunda (adoro bandas de segunda!). O público era de quinta? Até era, mas acho que as razões foram 1) o som estava péssimo, muito baixo. Da arquibancada precisava de muita boa vontade p/ se empolgar. 2) Como já disseram aqui, a maioria era “um bando de pivetes”…

  5. Ui. Ainda bem que não fui, então. Eu – como a maioria das pessoas que estava lá, garanto – só sei as músicas do álbum Get a Grip, fenômeno de venda em 94 (94?). Se não teve Cryin’, Crazy e Amazing, não serve! ;) Além do mais, nos últimos tempos (triste pensar assim), a platéia tem feito o show… Mais do que o próprio artista.

  6. “(…)saído de lá com um retrogosto estranho (…)”

    ??????

  7. Nossa, Ritinha, como você é estúpida, fala sério. Vem cá, retorno a pergunta: quantos anos vc tem? Sua mãe não te deu educação, não? Bom, como a minha me ensinou a ser educada eu respondo com a classe que vc não teve.

    Vc pode achar a banda de segunda, respeito sua opinião. Eu acho Avril Lavigne um porre, vai ver vc curte. Tudo bem, tem espaço na música pra todos os gostos.

    Até porque, eu não sou fã de Aerosmith a ponto de socar uma pessoa só porque fez uma crítica, aliás, o Athos que me perdoe se dei essa impressão. Só não concordei com as críticas e argumentei. Vc consegue entender isso, Ritinha? Se quiser eu detalho melhor pra vc…

    Quanto ao sofrível, fica pra uma próxima, é piada interna, vc não entenderia.

    Beijos, fofa

  8. Lucasof,

    Brilhante…rs

  9. oi zgentii
    eu odeio a boca do Tyler, os lenços que ele pendura no pedestal (do microfone) e os nomes rídiculos das músicas.

    // sensacional, Athos //

  10. Viva o Aerosmith!! Os democráticos! E a educação!!

    E olha que nem foi preciso mencionar KY!!

  11. Público de quinta… eu não estava lá!! e não aceitaria ver a banda sem pelo menos crazy!!! mas de qualquer forma eu seria um público d quinta com certeza.. pq eu nem sabia que ia ter show da banda… fiquei sabendo a pouco tempo…
    só me avisam d shows como o teatro mágico aghhhhhhhhh!

  12. ahhhhhhh
    e ve se aprende e da próxima vez vai na sexta..
    garanto q o público de sexta estava bem melhor!!!

  13. Quem paga 80 – ou 160 reais a inteira – para ver uma banda de segunda?

    Ah sim, banda de segunda com mais de 30 anos de estrada, uma máquina de hits e por aí vai. Mas blz. Não vou comentar de Aerosmith pq eles estão um pouco acima do que foi colocado. Curto a banda, mas não posso me considerar um fã total. Mesmo assim, tenho a consciência e sempre procurei me informar sobre a história do gênero musical que eu curto, assim dá pra respeitar certas instituições.

    Aí tem a banda de abertura. A banda tem só Scott Weiland, Slash, Duff McKagan, Matt Sorum e Dave Kushner. Ou seja, não é só STP e Guns, tem Wasted Youth tb – aproveitando para corrigir o post. Ou seja, só fera de duas das melhores bandas do final dos anos 80 e início dos 90. E com músicas próprias ótimas e covers fenomenais.

    O som tava ruim na arquibancada? Desculpe, mas who cares? Ir num show de rock, um gig de estádio, na arquibancada é de fazer Jimmy Hendrix se contorcer de dor no túmulo. Quem vai em shows dentro de estádios de futebol sabe bem que vc escolhe entre conforto e qualidade do som. Quem quer ficar sentadinho, vendo o show de binóculo, tem que saber que se paga um preço por isso. Seja no Morumbi, seja em Wembley.

    O público não fez ola? Ola, no caso com dois “l”s pra mim é marca de camisinha. Esse tipo de manifestação é coisa que a gente não vê nem em jogo de futebol. Só lembrando que ontem era um show de rock.

    E, tirando a parte do Velvet (que infelizmente não contava com mtos fãs na platéia), não foi um show pra pular. Quer pular? Tem Bad Religion semana que vem. Quem vai num show desse vai para ver um ícone do hard rock, mostrando que ainda está em forma.

    Após essa verborragia, refaço a pergunta que não quer calar: se a banda era de segunda, para que gastar uma grana razoável, pegar chuva e trânsito para ir assistir? Realmente, fica difícil de entender.

    E retrogosto tive apenas com a cerveja no copo de plástico e a 5 reais.

  14. Verborragia é uma ótima palavra pra descrever esse post. Eu ainda acrescentaria “ressentida”. Faz parte, às vezes a gente desconta nossas frustrações em coisas que não tem nenhuma relação.

    E mais uma coisa, ola não é coisa de show de rock. Taí um aspecto que muitas pessoas esqueceram. Casais dançando colados “I Don’t Want to Mis a Thing” foi triste. Me fez lembrar formatura de colégio. Nem de perto parecia um show de rock, culpa do público, não da banda.

    Ainda reitero aqui o que foi questionado acima: por que pagar (e esse show não foi nada barato) pra ver uma banda de segunda? Só pra dizer que pode?

    Aliás, o que é uma banda de primeira pra vc, Athos? Iron Maiden ou bandas de rock mais pesado? Daí provavelmente vc vai achar Aerosmith de segunda mesmo.

    De boa, vai no cinema, no teatro, ver uma exposição, tem tantas outras formas de gastar seu dinheiro e seu tempo.

    Hum, já sei, é só pra polemizar, né? Claro, depois comenta aqui “Aerosmith rocks”… jornalista é fogo mesmo…

  15. engraçado. não achei o trecho em que ele cita “pagar” para ver o show. Ele foi porque ganhou, por curiosidade, por prova de amizade talvez, por gostar de sentir vergonha alheia…

    desde quando pagar para ver algo te obriga a gostar do que viu?

    engraçado as pessoas perderem tempo para brigar com um post em um blog (um “site de opiniões”, afinal) indignados com uma opinão alheia. Se vcs querem ler coisas boas sobre o show, vão visitar a comunidade da banda – que deve ser surda.

    opinião é que nem peido, né, a gente só gosta do nosso.

    e u-hu aos posts que redem comentários deliciosos, magoados e sem noção. Fãs são uma praga, e é uma delícia mexer com a carência deles. não?

  16. Mas, engraçado. A intenção dos blogs não é justamente o debate?

    Disse q não sou fã. Apenas gostei do que vi.

    E, ganhando o convite ou não, acho que não vale a pena ir assistir algo que você não vai curtir. Infelizmente, no Brasil não dá pra ir em show para “ver o que rola”. Você vai com uma intenção definida e ponto.

    Quanto à referida carência de fã, aviso que a minha já foi suprida ano passado, durante um certo show no estacionamento do Credicard Hall. Logo, não é o caso.

    O que vale é, independente de vc gostar ou não, dar o devido valor às coisas. Assim como tb acho que dá pra elevar o nível da discussão, sem apelar para o maniqueísmo de “fã” e “não fã”. Existe um grande meio-termo, de pessoas que podem ter ido no show pq simpatizam com a banda apenas, ou pessoas q foram pra ver mais o Velvet Revolver que o Aerosmith (meu caso por ex).

    Dividir opiniões entre quem é fanático e quem odeia é subestimar – e muito – a inteligência de quem visita esse espaço. Existem tantos argumentos melhores do que esse, por exemplo, falar da representatividade da tal banda de segunda, do pq ela ser considerada assim etc. Se a argumentação existisse, com certeza também existiria a contra-argumentação. Mas como ela não deu as caras por aqui ainda…

  17. Vamos queimar o Athos!
    Uuuhhhhhhhh!

    Thix ix Xpartaaaaaa!

    De volta ao planeta dos macacos…

  18. Athos eu estava na pista, curto o Aerosmith pra caralho e vi o mesmo show que você.. Faltou empolgação de todo mundo. O show do Velvet foi muito melhor. Já aqui no blog faltou entenderem o que você escreveu. Mas o analfabestismo funcional no Brasil está acabando. Matou a pau.

  19. “Sunday… Bloody sunday…” mas hoje é sábado… e o post é de sexta… aaaaaah… sexta-feira 13…

    Será que rola um “pancadão”?

  20. “O público não fez ola? Ola, no caso com dois “l”s pra mim é marca de camisinha”

    HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAH

    GÊNIO

  21. olla é camisinha de segunda. Use preserv.

  22. AEROSMITH DE CU É ROLA. O ATHOS É MUITO FODA.

  23. Como muitos que foram ao show, só conhecia os hits. Show do Velvet Revolver me empolgou mais? Sim. E quanto ao show do Aero? Creio eu que faltou algo no show deles, não saberia dizer o que, mas que faltou um certo tchan, faltou.

    “Casais dançando colados “I Don’t Want to Mis a Thing” foi triste. Me fez lembrar formatura de colégio. Nem de perto parecia um show de rock, culpa do público, não da banda.”

    Voce queria que eles dançassem como? Por osmose, telepatia? Realmente, num show de rock todos devem seguir as coordenadas da Sra. Bia, senão não é show de rock.

    Rodrigo, esse tal show no Estacionamento do Credicard Hall ano passado, é o que eu to pensando né…Esse sim afirmo de peito inflado e cabeça erguida que foi um show de rock fenomenal, diria até mais épico do que qualque show que eu tenha visto até hoje.

    Mas enfim. Aero fez sua parte, lucrou sei la quanto num show que o bis foi pro saco e everyone’s happy.

    Stay Young

  24. Osmose e telepatia foi S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L… tem cada coisa que a gente tem que ler….. acho a criatividade das pessoas um dom.

    Sei lá, cada uma curte a música como pode, não? Bate cabeça, pulando, dançando a dois, com ola, sem ola, com isqueiro, fazendo topless… a liberdade de expressão é um direito constitucional.

    Coordenadas? Agora tem regra pra curtir show? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    E só pra constar, não sou nenhuma fã ressentida, aliás, tb só conhecia os maiores sucessos da banda. Logo, a observação da Bia não cabe.

  25. Vamos combinar? O show do Aero em 94 foi melhor. Numa boa. A platéia de Sampa era ridícula, com uma pirralhada que nunca viu Gun’s na vida e ficou se matando pra ver Slash, que é um merda. Tudo que ele se mete a fazer, dá em merda. E o povo é tão burro, que nem percebeu que eles tocaram músicas do Stone Temple Pilots. Essa sim, não devia ter acabado nunca. Fora isso, não tem como ser ruím um show do Aerosmith. O setlist poderia ser maior e com mais músicas antigas, mas os caras são muito bons. Faltou organização, faltou educação na platéia (leia-se pirralhada), mas o Aero mandou muito, muito bem. Só poderiam ter cantado mais uma horinha, pelo menos. E, por favor, Velvet NUNCA MAIS!!!!!

  26. Eu adorei o show!
    O público não se empolgou em alguns momentos mesmo. Principalmente quando o Aerosmith tocava rock n roll, de fato. (e eu me deliciando ouvindo o Joe Perry tocar)
    Só sei que eu cantei, dancei, me diverti do começo ao fim. Faltou música sim. Mas o que ouvi, amei. ;)

  27. Analisando o comportamento do grupo, eu acho que a aninha quer dar pro athos e o rodrigo quer comer a aninha. e o athos, que mandou bem nesse post, deveria se aproveitar da situação. será que o aerosmith faz turnê em 2008?

  28. meu.. o show foi o melhor q eu ja vi… sem comentarios pra esta postagem… vc realmente não curte aerosmith.. ou nem conhece…
    foi perfeito..
    abço :)

  29. Pablo, quantos shows você já viu, mesmo? E Bozo e suas Bozetes não conta.

  30. sim achei o publico realmente uma merda rsrs mas a banda é a melhor… eu pulava q nem um doido e via aqelas pessoas paradas foi ridiculo….o show o melhor do mundo…. tinham algumas pessoas do meu lado que nao cantaram uma musica desde o começo ai quando começou jaded e I Don’t Want To Miss A Thing adivinhem eu olho pro lado as pessoas que estavam fazendo cara feia pq eu pulava e esbarrava nelas estavam cantando gritando, sim elas faziam cara feia acreditem(eu ao contrario de todos os “fãs” que repugnam as duas musicas gosto delas tambem),mas foda-se estava em um show pra me divertir faltei no trabalho 2 dias seguidos pra ir la e ficar com cara de idiota parado me esgoelei até a ultima gota de energia.. tanto que nao conseguia andar direito pós show,só o que faltou pra mim eu acho que foi Train Kept A Rollin’ ,Road Runner, Amazing, e Hole in My Soul crazy eu ja cansei !!!… não acho que eles nao tenham tocado mais musicas por causa do publico os set list deles nos shows tem o tanto de musica que foi tocado mesmo o set list da argentina teve crazy mas nao teve What it Takes, e foi com uma musica a menos… o Morumbi nao estava lotado nao mesmo e dai, quem disse que foi colocado a venda ingressos pra deixar abarrotado o estadio?, esgotou todos ingressos mais lotado que aquilo vcs queriam oq!? … O show foi muito bom eu lembro até hj nunca vai ser esquecido pelo menos pros fãs …. pela midia nao foi nem lembrado mesmo, mas pra mim vai ser sempre lembrado, sempre, tanto que nao consigo para de pensar e lembrar como foi bom … pensem pelo menos ele acha a banda de 2ª pra ser de 1ª falta 1 huauhauhuha maas cada um tem uma opinião né faloouuu

  31. Seu tosco.. O u2 sim eh banda de segunda.. voce so deve conhecer crazy do aerosmith tosco! o pulbico foi idiota.. a midia tambem por nao ter transmitido o show!
    O Aerosmith eh uma banda de primeira q fez um show mais o menos pro brasil pq vcs sao assim, mais o menos.. e vc eh um falador de kinta.. um dia te dou os discos do aerosmith de 70 a 90 e o de 2004, pra vc largar de ouvir u2 com o dedo socado no rabo
    seu tosco

  32. de qualquer forma descupa ae.. me revoltei com uma opiniao dessas..

  33. desculpas novamente rsrs.. agora que vi que isso eh um site de jornalistas.. fui radical pq pensei q quem falou isso tudo foi um cara qualquer fã de u2 sei la.. desculpas ao jornalista ae e ás pessoas q nao gostatam do show. cada um te sua opiniao nao eh mesmo?
    Esse jornalista Athos parece ser bom e dinamico pra fazer uma critica dessas.. nao tem medo do que fala.. mas cada um cm sua opiniao ne?
    pra mim o aero sempre vai ser d primeira.. minha banda q fui fa desde criança
    obrigado e descupas a todos

  34. Uaren, ainda bem que você se redimiu, senão ia pedir um post contra você. acho que o athos já cansou da gente porque a regina duarte chamou atenção (e tb porque já se passou quase um mês desde o show e jornalista pode ser louco, mas pelo menos acompanha a velocidade do… hum… MUNDO, digamos). mas é isso. lendo o que ele escreveu, não entendi que o cara não goste de aerosmith e goste de u2 ou avril lavigne (nhéééim?). entendi que é um cara que entende de aerosmith, se decepcionou com a falta de certas coisas no show, mas principalmente achou que a banda, apesar de não ser a maior do mundo, merecia um público melhor. e pronto, só isso, mas escrito de um jeito muito mais interessante e divertido. e agora chega, povo, lê o post novo sobre a monstruosa namoradinha do brasil e o AMA, que tá muito bom. aquele da passeata por jesus tb vale muuuuito comentário (acho que é do lucas!).

  35. Verdade, me enganei na hora de criticar a opiniao do jornalista.. Aerosmith nao eh claro a maior banda do mundo.. acho q nao existe essa melhor banda do mundo. Pra se ter uma ideia gosto de iron maiden, megadeth, metallica, slayer e a banda mais manera que realmente gosto é o aerosmith e discutir sobre musica e bandas é comun porque as vezes uma banda q voce goste te decepcione, foi o caso do metallica quando lançou o album st. anger, que parecia mais uma banda dessas de garagem de interior do brasil.
    E assim como o metallica fez comigo acredito q aerosmith, rolling stones qualquer banda, pode vir a decepcionar algum apreciador ou fãn.. entao eu mudo a minha opiniao sobre essa critica.

  36. Vai tomar no cú a pessoa que escreveu isso. Dieferença de gostos é uma goisa, mau gosto é outra. Defender Guns e criticar Aerosmith? Vai dar a bunca porra.

  37. aerosmith é uma bosta.
    velvet revolver é uma bosta.
    guns n roses é uma bosta.
    franz ferdinand é uma bosta
    arctic monkeys é uma bosta.
    strokes é uma bosta.

    a importância artística e cultural desse lixo todo é a mesma de um iogurte ou uma vassoura: é um produto.

    criado e mantido por produtores que sabem poder contar com um público medícore de baixo nível intelectual e cultural (e o seu PhD não conta aqui), para comprar, idolatrar e sustentar picaretas como esses.

    dizem aos ‘artistas’ o que usar, o que cantar, o que tocar.

    mas vocês vão discordar de mim, porque voces nunca trabalharam numa gravadora. vocês nunca receberam brindes (jabá) pra falar bem de bandas ruins, e ouviram do próprio cara que tá te dando o brinde, ‘é uma bosta, mas fala bem dos caras ae porque pagamos uma grana preta pras rádios tocarem.’

    não posso pôr meu nome, porque eu trabalho no meio musical. e sinto muito, mas vocês são marionetes. a mídia independente como este blog são poucos remanescentes da verdade na imprensa. o resto está todo corrompido.

  38. Acho que as pessoas adoram criticar demais, como podem dizer que aerosmith merda?? Uma banda clássica do anos 70 que toca até hoje, afinal os caras são muito bons músicos e merecem respeito. Pode ser que o show no Morumbi não tenha sido bom mas isso não justifica que deve esculachar uma das melhores bandas de hard rock.