Tenha medo do sal de cozinha!

SaisSampaist.jpg
Mais uma frescurinha charmosa – e cara – pela cidade. Preocupado – até prova em contrário e ignorando os ingredientes com gorduras de todos os tipos – com a saúde dos clientes, o restaurante Emiliano adotou uma proposta inovadora: não irá mais utilizar sal refinado em seus pratos.

Calma, a comida não passará a ser insossa e sem graça. Tudo será salgado com sal natural. O motivo? O sal perde mais de 84 elementos quando refinado, sendo que o sal natural preserva todos os elementos vitais necessários.

Durante a “fabricação” do sal marinho, são perdidos diversos componentes, entre eles as algas microscópicas que fixam o iodo natural, além de plâncton (nutriente), krill (pequeno camarão invisível) e esqueletos de animais marinhos invisíveis que, de certa forma, nos fornecem importantes elementos como zinco, cobre e cálcio natural.

Depois de empobrecido, o sal industrial é “enriquecido” com aditivos químicos, contendo então cerca de 2% de produtos perigosos, como óxido de cálcio (cal de parede), que favorece também o aparecimento de pedras nos rins e na vesícula biliar devido à sua origem não-natural, ferrocianato e prussiato amarelo de sódio, fosfato tricálcico de alumínio, silicato aluminado de sódio e agentes antiumectantes diversos.

Para evitar o uso de sal refinado e manter o sabor de sua culinária, o jovem chef José Barattino, responsável pela cozinha, selecionou doze outros tipos de flor de sal de várias regiões do mundo que, a partir de agora, fazem parte de seu menu: o francês Fumée de Sel, o australiano Murray River, o Salish Smoked Salt do Pacífico, o havaiano Alaea Hawaiian, o indiano Kala Namak e o indonês Flor de Bali.

Restaurante Emiliano // Rua Oscar Freire 384, Jardins // Tel.: 3068 4390



Comments are closed.