Protesto termina em pancadaria na Paulista

bushfora.jpg

Quando vimos todas aquelas bandeiras vermelhas na Avenida Paulista, pensamos que era um ato de boas vindas ao presidente do EUA, George W. Bush.

Na verdade, a grande farofada na Paulista reuniu feministas comemorando o Dia Internacional da Mulher, militantes da Via Campesina claramente pensando: “o que eu vim fazer aqui?“, punks provocando policiais, executivos engravatados que aproveitaram para dar uma escapada do serviço e “socialistas de Centro Acadêmico de universidade particular“. Além de, é claro, representantes da elite comunista paulistana tirando fotos para seus fotologs “miguxos”, com seus respectivos All Stars e bolsas Puma.

A passeata começou como uma grande escola de samba passando pela Avenida Paulista. Tinha a comissão de frente, com algumas mulheres fazendo malabares. Depois vinham os vários porta-estandarte, uma bateria feminina e a galera atrás, cantando musiquinhas anti-bush.

Tudo estava numa boa, até que alguns engraçadinhos metidos a valentes resolveram interditar a outra pista da Paulista, sentido Paraíso. Aí o bicho pegou. Era policial jogando bomba de efeito moral, atirando com bala de borracha, dando cacetada sem dó… E do outro lado, manifestantes jogavam paus, pedras, coquetéis Molotov… Por uns instantes, a Paulista virou uma pequena praça de guerra. Será que era para fazer com que Bush se sentisse em casa, já que guerra é com ele mesmo?

Como o seguro de vida dos colaboradores do Sampaist não é lá essas coisas, resolvemos não participar da confusão e, valentemente, corremos para longe dela. No final das contas, alguns provocadores foram presos (sim, muitos filhinhos de papai provocam os policiais para ver até onde eles agüentam), algumas pessoas ficaram feridas, alguns paulistanos ficaram nervosos com o trânsito. E o Bush, motivo disso tudo? Estava em seu Air Force One, tomando champanhe, vendo um DVD, sem nem saber que sua visita é tão inoportuna.



Acha o slideshow lento? Clique aqui pra ver as fotos direto no Flickr.



One Response to “Protesto termina em pancadaria na Paulista”

  1. *gargalhadsa* Adorei “elite comunista paulistana”!