BUSH, GO HOME. Ou pra qualquer outro lugar

BushParado.jpg

Preparado para a paralisação do Bush? Hum, acho que não está claro. Falamos aqui de TODAS as mobilizações em torno do presidente estadunidense: as pró-Bush, as anti-Bush e as o-que-que-eu-tenho-a-ver-com-isso-Bush – estas, sim, as que realmente preocupam.

Vamos a um resumo da desinformação que toma este post e a cidade. Ele vem hoje no fim da tarde/começo da noite. Quer andar de carro por São Paulo porque é mais seguro — e isso não é piada de gringo. Para garantir a tranqüilidade de suas voltinhas (devem ser 5, entre quinta e sexta-feira), 4 mil homens. Seriam 1,4 mil do Exército brasileiro + 300 americanos + x atiradores de elite + x policiais civis e militares + x agentes à paisana + x tanques + 1 helicóptero… Tudo em torno de uma comitiva de mais ou menos 60 carros.

Então você quer saber onde vai estar a muvuca pra ficar bem longe e não chegar ao trabalho, ao médico ou ao cinema atrasado. Todos queremos. Mas a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) só divulgará as vias bloqueadas uma hora antes do deslocamento. Puxa, que azar!

Alguém chama a Fernanda Abreu porque também queremos nosso crachá. Somos de São Paulo, pô.

Segundo o Estadão, George W. deve, primeiro, isolar o trânsito no Morumbi no início da manhã de sexta-feira. Depois, para chegar a Guarulhos, pode escolher entre as marginais do Pinheiros e do Tietê para seguir pela Rodovia Ayrton Senna rumo ao destino final; ou pegar as avenidas Águas Espraiadas, 23 de Maio e Tiradentes até a Ponte das Bandeiras, chegando à Marginal Tietê e
seguindo pela mesma rodovia. Haveria paralisação do trânsito nestes trajetos. O impacto ainda pode atingir a Av. Luis Carlos Berrini, nas imediações do hotel onde ele ficará hospedado, e até a Vila Madalena.

Muito longe do mérito político, fora, Bush! Ninguém aqui está torcendo por uma destruição em massa do tráfego em São Paulo. Pode ser que todo o plano funcione de forma sublime e nem percebamos o megaesquema em ação. Alguém, porém, fica tranqüilo com esta operação inchada — e deliberadamente desinformativa — em uma cidade que, sabemos, não suporta ocorrências bem mais triviais como uma chuva ou uma carreta tombada?

Brasília tem avenidas largas e tranqüilas, não fica asfixiada com o bloqueio de vias e sua localização oferece menos riscos às autoridades. Visitas de presidentes blindados e seus aparatos à prova de gente fazem parte da rotina da capital do País. Aqui, as coisas complicam. E ainda por cima há as tradicionais manifestações antiianques, que querem juntar 10 mil nas ruas.

Sugestão aos paulistanos pacifistas para um recado a Bush, ao governo federal, ao governo do Estado, à Prefeitura, à CET: Stop war, not traffic.

Foto: flickr do Sergio Serrano



4 Responses to “BUSH, GO HOME. Ou pra qualquer outro lugar”

  1. GE-NI-AL! E inacreditável.

  2. …falou tudo! ;)

  3. Nao era mais fácil o infeliz ir de helicóptero???

  4. Falou e disse.