Baixa Gastronomia em Alta!

dimsum2.jpg

Quando fizemos o Especial Sampa 453 Anos, recolhemos muitos depoimentos interessantes sobre a cidade. Várias personalidades disseram o que sentiam por São Paulo e acabaram dando dicas valiosas!

A resposta do jornalista Álvaro Pereira Junior (editor-chefe do Fantástico e colunista do suplemento FolhaTeen) foi tão completa e inusitada, que merece um post só para ela. Perguntamos ao Álvaro o que “só ele” conhecia na cidade: uma loja esquisita, um restaurante escondido, um boteco que vendesse Guiness, qualquer coisa! Ele apareceu com três pérolas gastronômicas que não podemos deixar de publicar aqui no Sampaist.

Com a palavra, Álvaro:

“Dicas 100% ótimas e verdadeiras. Esses, SÓ EU conheço:

1) Lingüiças do Giovanni – em algum ponto do Alto da Mooca, nos fundos de uma casa eternamente em construção, o italiano Giovanni faz lingüiças artesanais sem paralelo ao sul do Equador. Não há placa, nenhuma indicação. É preciso tocar a campainha e esperar –esperar muito, porque, se o Giovanni não conhecer o aspirante a cliente e/ou não for com a cara dele, simplesmente não atende. Ele fala com forte sotaque, como se tivesse desembarcado ontem no porto de Santos, vindo da Calábria. Experiência 100% paulistana.

2) Garagem do coreano – numa garagem da av. Aclimação, um coreano serve espetinhos de costela de porco apimentada. Ele não fala português –só coreano, japonês e um pouco de inglês. A freguesia é 100% asiática (um amigo meu japonês, fanático por culinária, me apresentou o lugar). A higiene é nenhuma –se vc. pedir para fazer xixi, ele gesticula, apontando: “Faz aí do lado mesmo”. Faz tempo que não vou. Pode ter sido fechado pela Vigilância Sanitária.

3) Restaurante Jambo. Quando voltei de morar na Califórnia, em 2002, estava viciado em dim sum, estilo de comer típico de Hong Kong e que também bomba nas grandes cidade dos EUA: um misto de café da manhã e almoço, servido em restaurantes gigantescos, onde garçonetes, ao gritos, empurram carrinhos lotados com as mais finas iguarias do Sul da China: bolinhos e pães levíssimos ao vapor (recheio de porco, carne, frango ou frutos do mar), frituras também leves, arroz embrulhado em folha de lótus. Percorri vários mercados chineses na Liberdade, até que em um me deram a dica: dim sum em SP, só no Jambo, na rua Conselheiro Furtado. Não há carrinhos, nem o restaurante é tão grande. Mas a última página do cardápio é toda dedicada ao dim sum. A filha dos donos, Suzana, fala português e ajuda muito na hora de escolher os pratos. Freqüência totalmente chinesa.

** UPDATE: O Álvaro resolveu checar se as duas primeiras dicas ainda estavam valendo. Confirmado: “Giovanni está vivo e fazendo lingüiças. E de namorada nova!!! Fui também à Aclimação no fim de semana e aproveitei para passar na garagem do coreano: ele está lá ainda! O movimento bombando: lotado de gente, 100% adolescentes bêbados coreanos. Ele está até falando um pouco de português. Beeeem pouco. A tosqueira continua. Folclore total.”

Para fazer jus ao clima “só eu conheço”, vamos manter o suspense sobre o endereço completo das casas. =)

A foto do “dim sum” não é do restaurante Jambo e está aqui só para ilustrar o post. Ela foi tirada do Flickr do LexnGer

Quais os lugares da cidade que SÓ VOCÊ conhece?



11 Responses to “Baixa Gastronomia em Alta!”

  1. Deu até vontade de conhecer!

  2. Adoro essas coisas!

  3. Moro na Aclimação e não conheço esse koreano! Estou morrendo de vontade de conhecer, poxa.
    Um lugar que poucas pessoas conhecem é o Santa Madalena, um mistura de bar e restaurante na Bela vista que só abre dias de semana com as melhores massas que já provei. Fica na rua Santa Madalena mesmo, deve ser número 19 se não me engano.

  4. Paloma, se vc enfrentar o coreano vc volta aqui para contar a experiência? Dos três ali, o que mais empolgou foram as lingüiças do giovanni (sem sacanagem).

  5. pois é… gostei das linguiças tb, rs. Será que a slução é ir para o Alto da Moóca e ficar rodando, rodando e perguntanto em todos os botecos? Só com veia Sherlock Holmes. Se descobrir me avisa!

  6. Paloma, aqui está, recado do Álvaro para você:

    “* Coreano é na av. Aclimação, 764 (de dia, é uma farmácia de manipulação –a barraquinha do cara funciona das 20h às 4h, de segunda a sábado).

    * O Jambo é r. Conselheiro Furtado, 1095.

    * o Giovanni fica na r. França de Carvalho, quase esquina com a r. Pascoal Moreira, Alto da Mooca. Chegando lá na área, é só ir ao bar da Célia ou à borracharia e perguntar pelo Giovanni.

    Mas não é um boteco, não tem grelha. É só a fábrica do tiozinho linguiceiro. Eu compro a mais apimentada, que é super assassina.”

    Agora tem que ir, hein?

  7. O Jambo é d++!!!! Dpois que vi a reportagem, vou toda semana lá! Cada vez levo um amigo ou parente diferente… o Coreano vai ser meu próximo alvo…

  8. hahaha
    jura que vc foi ao Jambo???? O Alvaro vai ficar feliz em saber!

  9. Tentei ir ao coreano… foi mto engraçado!!! o cara q estava cozinhando era um brasileiro… só tinha gente de olho puxado no local… perguntei umas 10 vezes p o cozinheiro quais os pratos que ele servia… n consegui entender nada do que o cara falou!! ahahahhahahahah… n fez questão nenhuma de responder as minhas perguntas, virava as costas e me deixava falando sozinho… ahahahahha… só consegui entender q o preço da porçao de costeleta de porco custa 30 reais (n imaginava algo “caro” em uma barraquinha no meio da rua)… agora é uma questão de honra, vou voltar lá e tentar, de qqer jeito, experimentar alguma comida de lá! Ana, vc ja foi em algum destes lugares??? Foi ver o show do Trilobit? eu estava lá… provavelmente era o mais alto do lugar… ah, voltei mais duas vezes no Jambo… ja experimentei tdas as iguarias do Din Su…

  10. Oi Felipe-fã-do-Jambo! Não respondi seu recado sobre o show do Trilobit, né, desculpa. Eu peguei aquela chuva toda de sexta, fiquei presa em um ponto de alagamento e passei o final de semana com febre. Então não, você não me viu por lá. =( Imperdoável.

    * Estou tentando armar com o pessoal do Sampaist! A gente tem visitado uns lugares inusitados para colocar aqui, e quando chegar a minha vez de escolher, vai ser o Jambo!

  11. Oie Ana-que-responde-todos-meus-comentários!!! Legal vcs do sampaist irem sempre a lugares diferentes… posso sugerir um lugar?? mas não é aki em sampa… fui para Itu em um fds… me indicaram um bar novo na cidade (n queria ir no tradicional Bar do Alemão)… o bar chama-se Cafundó… o dono, conhecido como Seu MauMau é uma figura!!! e o cardápio… hummmm além de mto divertido, com nomes p lá de originais, é uma coisa de louco!!! nunca tinha ido em um lugar com tantas opções diferentes!!! fora os sauduíches! maminha ao vinho com catupiry?? pernil fatiado com limão e creme de hortelã?? loucura!!!! e p completar: blues, jazz, samba-rock e classic rock… parece até sonho um lugar assim! quero mto voltar lá, já to até pensando em montar um Cafundó aki em sampa! Ah… e a decoração… um primor! Deixa eu correr, to indo novamente no Jambo… bjs