Ficamos sem YouTube

youtubedown.jpg

Se você achou que ia se livrar do bloqueio do YouTube e que só os assinantes da Brasil Telecom, fora de São Paulo, iam ficar sem acesso ao site, pode tirar o cavalinho da chuva. Para quem ficou ausente da internet nos últimos meses, vamos recapitular…

Daniela Cicarelli faz sexo explícito em uma praia espanhola, no meio da galera. Cinegrafista amador bem sacana filma tudo e joga na internet. O vídeo se espalha no YouTube, Google Vídeo, blogs, Kazaa, TV Fama e etc. Cicarelli, arrependida, processa quem divulgou imagens do vídeo e até ganha alguns processos. E ela vai mais longe! Processa o YouTube e pede que as empresas de internet bloqueiem o acesso ao site mais legal de troca de vídeos dos últimos tempos. O que ninguém esperava é que Cicarelli ganhasse a ação movida na Justiça e realmente obrigasse o bloqueio do YouTube.

dengue.jpg Bom, após recapitular, voltemos ao começo de janeiro de 2007. No último sábado, usuários do provedor de acesso à internet Brasil Telecom começaram a reportar em blogs e listas de discussão que não conseguiam mais entrar no YouTube. No começo, todos pensaram que era uma coincidência ou a BrT estaria usando um pretexto (Cicarelli) para bloquear um dos sites que mais consome banda de tráfego na rede.

E quando começávamos a pensar que as restrições seriam apenas aos usuários do Sul e do Centro-Oeste, recebemos um e-mail entristecedor.

A Telefônica informa que recebeu ofício do Tribunal de Justiça de São Paulo determinando o bloqueio ao acesso do site YouTube (www.youtube.com) por todos os provedores de internet que utilizam a rede da empresa no Brasil. A determinação foi encaminhada para todas as empresas que possuem controle de tráfego de dados internacional (incluindo a Telefônica) e é válida por período indeterminado.

Do site TeleSíntese:

Foram notificadas a Brasil Telecom (dona da Globenet), a Embratel (a carrier tem quatro links internacionais), a Telefônica Internacional, a Telecom Itália e a Global Crossing (dona de bakcbone global e que atende clientes corporativos no Brasil).

Traduzindo isso para termos comuns: ficou decidido que nenhum internauta brasileiro poderá acessar o YouTube enquanto a decisão da Justiça não for derrubada. Apesar de esse assunto não ter muita relação com São Paulo, fica aqui o registro de insatisfação, indignação e espanto com a censura de um site inteiro por causa de um vídeo postado por um usuário. Já são mais de 5 milhões de internautas brasileiros que estão sem acesso ao site!

Se você, assim como nós, discorda da decisão judicial, proteste! Boicote a Cicarelli! Se a moda pega, daqui a pouco a banda Calypso se revolta com nossos comentários e pede nosso bloqueio também…

Imagem do post copiada do blog do Tiago Dória.



Comments are closed.