Mais conforto, mais respeito — e placa para garantir

Banco.JPG

A partir de janeiro de 2007 as estações e os vagões dos serviços de trem e metrô têm 4 anos para instalar assentos adequados a pessoas obesas. A lei estadual, de 2006, já começou a ser cumprida na estação Barra Funda, na zona oeste de Sampa.

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) instalou um protótipo de assento preferencial que será testado durante quatro meses. O banco tem as dimensões exigidas por lei para acomodar uma pessoa com índice de massa corpórea (IMC) igual ou superior a 40, segundo critérios estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Acima do assento, de cor cinza, há uma placa com a seguinte indicação: local reservado para obesos – Lei Estadual nº 12.225, 11/01/2006.

Será que precisava do letreiro? Fato é que foi necessária a criação de uma lei para que estes passageiros pudessem ter um banco adequado para esperar pelo transporte. Talvez ainda precisemos deste e de outros avisos (broncas?) que forcem o respeito a vagas preferenciais em lugares públicos.

Foto: divulgação



2 Responses to “Mais conforto, mais respeito — e placa para garantir”

  1. Acho muito estranho os obesos terem privilégios. Acho que deveriam frequentar um médico e fazer dieta, cirurgia do estomago, tomar remédio, sei lá, mas por vc ser gordo ter privilégio? Daqui a pouco eles vão estão pedindo cotas nas universidades, desconto nas academias e seguros de saude e por aí vai. Estou errado?

  2. eu não acho que seja uma questão de privilégio, Ricardo, e sim…adequação. Já vi 3 gordos ficarem presos em roletas de ônibus. É muita humilhação. E essas cadeiras aí sufocam qualquer quadril. O dia que rolarem as cotas nas universidades (adorei!) a gente se organiza no portesto! =)