Especial Festa do Sampaist: Dudu, Marcos e Jorge fazem a Obra!

Obra_topo.jpg
Quando decidimos fundar o primeiro ist abaixo da Linha do Equador, em São Paulo, só tinha uma coisa que a localização e o preço das “importações e exportações” iria atrapalhar: as camisetas, típicas da rede de blogs.

Para evitar altos preços e burocracias, resolvemos procurar alguém que topasse produzi-las por aqui. Nessa busca, depois de conversas com uma série de empresas, topamos com os caras da Obra.

Do ideal comum e de conversas descontraídas, sempre com muita paixão pelo trabalho, nasceram as camisetas exclusivas do Sampaist, que estarão a venda na nossa festa.

Batemos um papo com eles para todo mundo saber da história e um pouco mais sobre suas idéias e projetos.

Quem são vocês?
Somos a Obra, uma empresa que nasceu do sonho de transformar boas idéias em produtos de sucesso. Nos conhecemos na Belas Artes, enquanto cursávamos Design de Produto. Hoje criamos camisetas de maneira especial, concebidas para ganhar vida própria e inspirar os sonhos de outras pessoas.

De onde saiu a idéia para começar o negócio de camisetas? É pra ficar rico ou para se divertir?
Primeiro é interessante dizer que nosso sonho vai além de camisetas, queremos criar produtos inspiradores, em diversas áreas. A idéia de criar a Obra surgiu no penúltimo semestre da faculdade. Na época o Dudu, o Marcos e eu (Jorge) trabalhávamos nos melhores lugares que cada um podia trabalhar para atingir seus objetivos, porém não estávamos totalmente felizes, ainda era pouco para nossos sonhos e as opções de evolução eram limitadas. Tínhamos uma boa sintonia de trabalho, assim que nos conhecemos fizemos todos os trabalhos da faculdade juntos e o resultado sempre foi ótimo, nos empolgávamos com coisas parecidas e cada um conseguia surpreender o outro.

Começamos criando camisetas pois íamos aos shoppings com dinheiro no bolso para comprar uma e não encontrávamos nada interessante, era tudo sem sentido, frases em inglês, clip-arts e etc. Sabemos que a moda precisa se renovar para vender, porém não gostávamos do que estava acontecendo, estava tudo muito descartável, a filosofia das empresas durava apenas uma coleção, e não achamos isto legal. Buscamos transmitir algo alegre, sincero e que faça as pessoas pensarem e se inspirarem, e queremos fazer isto por um longo período.

Acreditamos que muitas das realizações da vida vêm do trabalho, queremos sempre fazer o melhor e obter prazer fazendo as coisas do nosso jeito. Queremos sentir orgulho ao olhar e ver o que criamos. Porém também temos objetivos financeiros, afinal alguns dos nossos sonhos custam e é com o dinheiro do nosso trabalho que iremos conquistá-los.

Qual a origem do nome Obra?
Quando comentam de alguém que fez a diferença na vida, dizem a “Obra da vida…”, e é isto que buscamos, fazer diferente e de maneira inteligente. Além disso, o nome gera várias associações positivas, como obra-prima, obra literária e até construção, pois é isto que estamos fazendo, construindo algo aos poucos. Queremos “deixar nossa Obra”.


De onde tiram idéias para as ilustrações?
Acreditamos que tudo que está ao nosso redor nos influencia, desde os amigos, as músicas, as viagens e até os problemas do mundo. Quando criamos uma coleção, pensamos primeiro na idéia dela, o que queremos transmitir e depois criamos algumas histórias que viram desenho. Se vocês repararem, nossos desenhos têm sempre uma ótica positiva ou valoriza algo bom, porém às vezes esquecido, como o centro de São Paulo (Excursão ao Centro) e o Chorinho (Coleção Canteiro).

Gostamos de contar histórias na vida real e isso influencia nossos produtos. Às vezes criamos coisas que ainda não existem, mas que sonhamos que um dia aconteçam. Nossa próxima coleção será repleta de coisas assim.

A cidade inspira na hora da criação?
Sim e foi até tema da coleção passada, chamada Excursão ao Centro. Nela contamos algumas histórias sobre o centro e seus símbolos. Nossa marca traz uma visão otimista sobre a cidade, queremos transmitir que a cidade pode ser agradável, alegre e tranqüila. As marcas urbanas valorizam demais a noite, mas a cidade não é só isso. Na Obra valorizamos o dia, o fim de tarde. Além de tudo a cidade, principalmente São Paulo, possibilita acesso a quase tudo que existe, desde boas exposições até bons shows.

São Paulo veste o que?
São Paulo veste de tudo e a cada dia mais gente veste Obra (rs)! Brincadeiras sinceras a parte, São Paulo se veste bem e é uma cidade rica em diferentes estilos e nós gostamos disso, diversidade é bom.

Quais os paulistanos mais estranhos que já pararam no stand de vocês no Center 3?
Esta é difícil, mas tentaremos contar uma. Tem uma mulher que já passou por lá umas três vezes, e sempre fez as mesmas perguntas. Ela tem uma voz rouca e geralmente fala as seguintes frases:
1- Que linda, quanto tá?
2- Aceitam cartão?
3- Eu volto.
Na semana seguinte, ela volta e parece que não esteve lá, pergunta as mesmas coisas, reage com a mesma surpresa. Parece até o Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças.

Aliás, como é trabalhar aos domingos na Paulista?
É interessante, pois como muita coisa acontece na Paulista, todo tipo de gente passeia por lá. Ganhamos um cliente/amigo quase todos os domingos. Conversamos bastante com nossos clientes. Vendemos muito para estrangeiros também, sempre perguntamos se eles gostaram e foram bem tratados no Brasil, a maioria diz que sim, que todos adoram o Brasil.

O que é que só vocês enxergam na cidade?
Que nela tem muita coisa linda e está ali para ser explorada. Muitas coisas ruins estão sendo associadas às cidades, como o trabalho estressante, o ritmo infernal e etc. É por isto que buscamos o prazer nas coisas simples da vida, desta maneira é muito mais fácil ter momentos felizes e fugir do estresse. Tem gente que passa a vida reclamando, mas nunca deu a volta no quarteirão sem ser de carro, não conhece a vizinhança, não respeita o próximo. Acreditamos que atitudes simples podem causar grande impacto e que as pessoas precisam ficar mais próximas. Nosso sonho é construir em volta da Obra um grupo de pessoas empolgadas e motivadas em tornar a cidade e as pessoas melhores.

Sampaist_Final.jpg
Como foi para vocês fazer a camiseta do Sampaist? De onde saiu a estampa?
Foi muito legal, pois foi nossa primeira parceria a sair do papel. Tivemos muita liberdade na hora de criar e vocês entenderam que não queríamos criar algo promocional, mas sim uma camiseta que as pessoas quisessem usar com orgulho.

Pessoas que fazem São Paulo, esta foi a idéia central do desenho. Na estampa temos cinco pessoas, uma calma, escutando sua música, outra sentada, tomando um café e lendo jornal. Já o terceiro está fazendo seu som, que ecoa pela cidade e encanta quem acaba de chegar nela, como fica visível pelo rosto da mulher logo abaixo dele. Além das atrações humanas, trabalhamos também a arquitetura histórica que marca a cidade e está presente no logo do Sampaist.

Pensam em diversificar as criações?
Pensamos bastante nisto. Temos pouco mais de um ano e meio, agora temos as informações suficientes para fazer um bom plano para nosso futuro. Quando pensamos em diversificar, não ficamos presos em roupas, pensamos em outros produtos que têm alguma relação com nossa essência. Queremos, além de vestir, encantar, motivar e inspirar nossos clientes, ajudando eles a realizarem os próprios sonhos. Sabemos que é difícil e tratamos isso como um projeto de longo prazo, que felizmente já foi iniciado.

Qual paulistano merece um abraço e qual merece um tapa na cara?
Os paulistanos que fazem algo especial, que se mexem para tornar a vida melhor, que acreditam em seus sonhos e empreendem merecem um abraço. Já os paulistanos que não acreditam no que é feito no Brasil merecem um tapa, e forte. Como é chato quando alguém vem e diz que em NY o pessoal está fazendo umas coisas nesta ou naquela linha. Temos potencial criativo para disputar com o mundo. Respeito e até gosto de várias coisas que são feitas fora do país, porém nossa marca não seria especial se ela se inspirasse em outras marcas, seria apenas mais uma. Nossas referências vêm do dia-a-dia, das nossas conquistas, dos nossos sonhos, da música, dos amigos e seria uma traição aos nossos ideais dar ouvido a estas pessoas. Tapa nelas!

Queremos mandar um forte abraço também para todos os amigos (inclusive os do Sampaist), clientes e fãs da marca, que sempre acreditaram na Obra e em nosso potencial.
Dudu, Jorge e Marcos
Conjunto da Obra

Portanto, levem dinheiro ou talão de cheque porque é certeza que vão se encantar e querer levar uma (ou várias) camiseta para a casa no dia da festa (dia 08/12) no Studio SP.



2 Responses to “Especial Festa do Sampaist: Dudu, Marcos e Jorge fazem a Obra!”

  1. Mas que linda, quanto tá? Aceita cartão?
    .
    .
    .
    .
    .
    Eu volto!

    (brinks, sexta eu compro!)

  2. eu ia fazer a mesma piada acima… =)
    a camiseta ficou linda mesmo, os meninos mandam muito bem nas estampas. Comprei uma do “movimento samba” que sempre faz sucesso.