Sampaist Reprova: El Kabong Vilaboim

tacos3.jpg

Há algumas semanas, falamos da inauguração do restaurante mexicano El Kabong na praça Vilaboim em Higienópolis.

Depois de recebermos críticas de dois leitores, fomos “testar” a casa em pleno domingo de sol escaldante em São Paulo.

Bem, começa por aí. Só havia uma mesa do lado de fora, ou seja, saímos bronzeados e suando em bicas. Mesmo embaixo de um guarda-sol gigante, o sol nos perseguia, e só servia para esquentar as bebidas na mesa.

Nos finais de semana, o cardápio é diferente, um tal de “El Kabong Fest”. O lance é tão complicado que a garçonete, que já estava perdida com o palm top, teve que explicar três vezes. Basicamente, é um rodízio. Só que, “para vir tudo quente”, você só pode pedir três coisas por vez.

Éramos três pessoas com muita fome, e tivemos que ficar pelo menos 3 horas no restaurante para sair de lá com um pouco menos de fome: os pratos tinham, em média, 25 minutos de intervalo entre um e outro. A porção é para a mesa, e não individual… Portanto, acaba em 2 segundos e você espera mais 25 minutos pela próxima rodada de “onion rings”.

Ao pedir o “prato principal”, uma surpresa…


… ele tem um terço do tamanho do original. O “taco-wrap” parecia um charuto!!! Um charuto cor-de-rosa com um alaranjado queijo cheddar gritando em cima. Ele tinha a aparência de um cigarrinho de glacê de festa infantil, não dava a menor vontade de comer. O taco de carne, que normalmente se parece com o da foto, era uma miniatura engraçada, tamanho de ímã de geladeira.

Sem contar que, todas as mesas estavam confusas e os garçons tinham que explicar várias vezes como tudo funcionava. Bebidas chegaram quentes, e a última porção de “chicken nuggets” chegou depois da conta.

Sol, fome e bebida quente não combinam. E um rodízio, para dar certo, tem que ser ágil. Precisamos voltar durante a semana e à noite (sem Tex-Mex-Fest micado) para saber como a casa se sai. Vamos deixar isso para vocês, porque não queremos ver tacos por um bom tempo.

Um rodízio divertido como esse sai por R$ 28,00 por pessoa.

A foto é do Flickr Yrungaray. O carimbo é nosso.



2 Responses to “Sampaist Reprova: El Kabong Vilaboim”

  1. Fora que o dia em que eu fui comer lá, esse cardápio especial bizarro, NÃO TINHA CERVEJA. Restaurante mexicano que não tem cerveja não dá.

  2. eu me esqueci desse detalhe… Não dá.