Homenagem a Robert Altman

obertaltman.jpg

O post abaixo é uma contribuição do jornalista Bruno Moreschi, autor do blog Estante de Vidro. Se você quiser enviar um texto sobre o que acontece na cidade de São Paulo ao Sampaist, basta entrar em contato!

Quando as luzes do cinema do HSBC Belas Artes se acendem, ocorre um mal estar no espectador que é fã dos filmes de Robert Altman. Aquele foi o último. Os diálogos cotidianos que sutilmente conduzem a história, a reunião de atores premiados, nunca mais.

Na fila do cinema, um casal de velhinhos cinéfilos pergunta: “São Paulo não vai homenageá-lo decentemente? Só três salas exibindo o filme e nada de uma mostra com seus filmes?”

Em A Última Noite, tudo é despedida. A impressão é que Altman fez o filme sabendo que iria morrer — claro que a impressão se acentuaquando é sabido que o diretor faleceu no dia 20. Em uma das cenas, um anjo disfarçado de mulher vestida de branco diz: “Não há nada de errado na morte de um homem de 80 anos.”

Altman, portanto, estava dois anos no acréscimo.

Diga adeus ao assistir A Última Noite no Frei Caneca Arteplex 7 (14h30); no Gemini 2 (sex. a dom. 19h30 e seg. a qui. 15h50 e 19h30) ou no HSBC Belas Artes/Sala Mário de Andrade (17h20 e 21h10 Sáb. também às 23h10).

Imagem de divulgação do filme.



One Response to “Homenagem a Robert Altman”

  1. Eu voto mostra com os filmes de Altman, certeza!