Nokia Trends

hhheat.jpg

O Nokia Trends 2006 acontece no próximo sábado, dia 25, na Arena Skol Anhembi, para um público estimado em 12 mil pessoas.

O evento será dividido em três áreas distintas, onde acontecem as apresentações musicais e também as experiências que unem telefonia móvel e arte multimídia. Nessa edição, o Nokia Trends trará a arte multimídia combinada à arte urbana. Artistas de diferentes backgrounds recriarão as ruas da cidade, mostrando que a arte é acessível a todos.

Haverá em uma única festa, que incluirá os electro-bootlegs do 2 Many DJs; o indie-rock do We Are Scientists; o rock-electro do The Bravery; o minimalismo alemão de Dominik Eulberg; o electro-pop do Ladytron; o electro brasileiro do Digitaria; e o projeto Soulwax Night Versions, que faz a junção perfeita entre rock n´roll e dance music.

Mais informações sobre as bandas você encontra após o clique. E também tente decifrar o site do evento, muito complicado para o gosto do Sampaist. Para comprar os ingressos online, vá ao Ticketmaster.

Arena Skol Anhembi // Av. Olavo Fontoura, 1209 // a partir das 22hs // R$ 120,00 / R$ 60,00

Foto de divulgação do Hot Hot Heat.


Informações das bandas enviadas pela assessoria do evento.

Hot Hot Heat
Banda canadense de Vancouver, surgida no início deste século, dentro da onda pós-punk eletrônica que trouxe nomes como The Rapture e LCD Soundsystem. É clara a influência do The Cure em suas músicas, no vocal ao mesmo tempo agudo e anasalado de Steve Bays e na construção musical simples que remete ao pós-punk. No entanto, Steve se diz influenciado principalmente pelo Gang of Four, tanto que o Hot Hot Heat foi convidado a participar de um disco em tributo à banda.

Em sua primeira vez no Brasil, o HHH traz as músicas de seu último álbum, “Elevator”, lançado em 2005, que já emplacou hits como “Goodnight Goodnight” e “Middle Of Nowhere”. Também estão no show “Bandages” e “Talk To Me, Dance With Me”, de “Make up the Breakdown”, o segundo disco do Hot Hot Heat, que os alçou à fama mundial em 2002.

We Are Scientists
Trio nova-iorquino, formado por Keith Murray (guitarra, vocal), Chris Cain (baixo) e Michael Tapper (bateria). A banda foi descoberta pelos ingleses, por sua sonoridade indie e pós-punk que lembra bandas inglesas, como Bloc Party. Tocaram neste verão do hemisfério norte no festival texano South By Southwest, no inglês V Festival, no espanhol Benicàssim, e no belga Pukkelpop. Com seu primeiro álbum, “With Love and Squalor”, lançado este ano, já emplacaram dois hits: “The Great Escape” e “Nobody Move Nobody Get Hurt”.

The Bravery
Quinteto nova-iorquino que é uma das maiores sensações da cena eletro-rocker da cidade, ao lado de bandas como The Rapture e !!!. Formado pelo vocalista e guitarrista Sam Endicott, um segundo guitarrista Michael Zakarin, o baixista Mike Hindirt, o tecladista John Conway e o baterista Anthony Burulcich, o The Bravery tem apenas um álbum lançado, de 2005, que leva o nome da banda.

Partindo do circuito cool de Nova York, o The Bravery estourou em todo o mundo abrindo os shows do Depeche Mode na Europa neste ano, quando se tornou Disco de Ouro na Inglaterra.

Suas referências passam por New Order, The Cure e até Duran Duran e entre seus hits estão “Unconditional” e “An Honest Mistake”, do primeiro disco. Eles se preparam agora para lançar seu segundo álbum, com o famoso produtor Brendan O´Brien, que já trabalhou com Bob Dylan, Bruce Springsteen e Pearl Jam.

Soulwax Nite Versions
Projeto dos irmãos David & Stephen Dewaele, no qual se apresentam ao lado de Stefaan Van Leuven & Steve Slingeneyer, mostrando suas próprias criações em performances ao vivo. Soulwax Nite Versions é tanto o nome do álbum lançado em 2005 que mostra remixes para pista do álbum de 2004 do Radio Soulwax, “Any Minute Now”, quanto o projeto que mostra ao vivo ao redor do mundo, que recria no palco o clima de uma festa de rock.

O Radio Soulwax mistura várias vertentes do pop, rock, punk, electro e até grunge. São várias as referências e influências em suas músicas, que vão de The Cure a Soundgarden e Nirvana, passando até por Elton John e Gary Glitter.

Entre as faixas que devem animar o público brasileiro estão o hit “E-talking” e “Another Excuse”, incluída na nova coletânea da DFA, “The DFA Remixes – Chapter One”.

Ladytron
Quarteto electropop que surgiu em 2001, trazendo consigo as melhores referências dos anos 80, resgatando o que há de melhor na década e deixando para trás o que não importa mais. A banda foi formada em Liverpool, na Inglaterra, mas seus integrantes são de lugares diferentes, como Bulgária e Escócia.

Essa é a primeira vez que todo o clã do Ladytron se apresenta no país e, portanto, uma grande oportunidade de o público brasileiro conferir o show completo, incluindo as vocalistas que dão um show à parte! Formada por Helen Marnie e Mira Aroyo, pelos produtores Reuben Wu e Daniel Hunt, a banda se diferencia por não usar samples em shows ou gravações, apresentando-se ao vivo, com o uso de sintetizadores.

Incensado por produtores como Felix, da Housecat, o Ladytron já se apresentou nos maiores festivais de música do mundo e fez até a trilha sonora para a Chanel. O grupo lançou há cerca de um ano seu último álbum, “Witching Hour”, emplacando os hits “Sugar” e “Destroy Everything You Touch” e foi destaque na edição 2006 do festival Coachella.

2 Many DJs
A dupla belga formada pelos irmãos David e Stephen Dewaele, os 2 Many DJs foi responsável pela invenção dos bootlegs, que conquistaram as mais variadas pistas na virada do milênio. Promovendo uma saudável mistura entre artistas de diferentes estilos musicais, como Green Velvet e Led Zeppelin, Nirvana e Destiny’s Child, Salt’N'Pepa e The Stooges, Prince, Beastie Boys e INXS, Peaches e Velvet Underground, os 2 Many DJs injetaram o frescor que a música eletrônica precisava na época, de maneira despretensiosa, o que fez deles talvez o maior fenômeno da eletrônica dos novos tempos.

De lá pra cá, mixaram um álbum especial para a boutique francesa Colette, apresentaram-se em diversas partes do mundo e lançaram diversos álbuns, como “2 Many DJs – As Heard On Radio Soulwax” partes 2, 3, 4 e 5 e a série “Hang All The DJ’s” volumes 1, 2, 3 e 4. Recentemente, produziram o 1º álbum do Tiga, “Sexor”. Em 2006, já tocaram nos festivais Hi:Fi, na Inglaterra; Benicàssim, na Espanha; Creamfields, na Inglaterra; e no Nokia Trends de Paris.

Dominik Eulberg
DJ e produtor alemão de minimal techno, faz um som orgânico, inspirado pelos sons da natureza e dos pássaros de Westerwald, na Alemanha, onde mora. Influenciado por Sven Vath, ficou famoso inicialmente por seus remixes para artistas como Hell, Roman Flügel (Alter Ego) e Tiefschwarz. Há cerca de dois anos, começou a se destacar como produtor e em 2005 ganhou o prêmio de “Produtor do Ano”, pela revista “The Groove”.

Digitaria
Projeto mineiro que pertence ao casting da Gigolô Records, o selo alemão do DJ Hell responsável pelo “boom” da cena electro no ano 2000. Formado por Daniela Queiroz, Nest, Fabiano Fonseca e Daniel Albinati em 2002, o Digitaria ficou conhecido internacionalmente quando emplacou a faixa “Teen Years” na coletânea “International Deejay Gigolos #9″, lançada em janeiro de 2006, quando aparecem ao lado de Felix da Housecat e Fischerspooner, entre outros. Mixando electro, pop e rock em seus sets, o Digitaria é maior expoente brasileiro do electro-rock, misturando com perfeição os timbres dos dois estilos.



Comments are closed.