Red Bull não me deu asas

Red Bull Racing

E pelo jeito o assunto Red Bull continua quente. Este post é uma contribuição do Doda Vilhena, redator publicitário paraense radicado em Sampa desde janeiro. O texto foi originalmente publicado no blog do autor e replicado no Sampaist com a devida autorização. Confira o resto da polêmica aqui.

Trinta e sete mil reais. É o preço de uma ação de marketing nas ruas de São Paulo em uma Quinta-Feira às 5:40 da manhã. Foi quanto pagou a Red Bull Racing para percorrer com um carro de Fórmula 1 os 7,7 quilômetros entre o Teatro Municipal e o Parque do Ibirapuera no último dia 19 de outubro.

Ah, você mora na Zona Norte e estava no caminho do trabalho na Zona Sul pela interditada 23 de Maio justamente nesse horário? Seu IPVA está em dia e você tem o direito de circular pelas ruas com seu automóvel? Saiu mais cedo de casa porque era dia do seu rodízio? Estressado no ônibus porque trabalha muito cedo e precisava chegar na empresa às 7? Qual a importância de tudo isso quando uma multinacional precisa desesperadamente realizar uma ação promocional nas ruas da cidade, não é mesmo?

“Ah, mas foram só alguns minutos de um diazinho apenas”, alguns podem dizer, mas não é essa mesma administração municipal que a todo custo tenta banir a mídia exterior nas ruas em nome da cidadania? E não importa a duração, a questão é que, seja lá por quanto tempo, um interesse puramente comercial e privado foi sobreposto aos direitos de cidadãos que pagam impostos e já sofrem gigantescos problemas diários em seus deslocamentos no espaço urbano.

Fica a dica para que da próxima vez a Red Bull invista em uma ação mais prática para a vida paulistana e que tem muito mais a ver com seu posicionamento: a doação de asas para motoristas e pedestres fugirem dos engarrafamentos.



7 Responses to “Red Bull não me deu asas”

  1. adoro esse blog. E ainda não entendi a graça desse tico feio fazendo barulho na rua.

  2. Mais uma patética ação de marketing “alternativo”. Esse povo tá apelando! :-/

  3. Pô. Será que eu fui o único que achei bacana o acontecimento? Se eu soubesse que ia acontecer mesmo, até ia acordar mais cedo pra ver ao vivo no Ibirapuera… :)

  4. Confesso que adorei a idéia de ter um carro de F-1 nas ruas de SP. Também queria ter visto. Na verdade, nem tinha pensando nas colocações de Doda Vilhena.
    E quanto dinheiro, não?

  5. Mas se eu quiser ver um carro de F1 eu vou ao autódromo, ora ora ora…Q não me venham fechar a rua da minha casa pra ng passar, q eu taco uma pedra!
    RS

  6. bem, eu não vejo a menor graça em carro de corrida, deve ser por isso. Prefiro desfile em carro de bombeiro, com o povão todo correndo atrás acenando e os jogadores tentando fugir dos fios de alta tensão. Isso sim é emoção.

  7. E os cortejos fúnebres e comboios de casamentos que rasgam a metrópole de graça e sem parar o trânsito? Isso sim é que é emoção!