MAM na Oca: A arte é nossa!

german_lorca_ladeira_mam_oc.jpgSe a Bienal oferece um painel da arte contemporânea mundial, as mais de 600 obras do acervo do MAM fazem um fantástico passeio pela evolução da arte brasileira.

Há muito que o MAM está pequeno para apresentar ao público seu acervo, cuidadosamente formado por aquisições, doações e graças às atividades de seus Clubes de Gravuras e de Fotografia.

“Esta exposição serve para devolver à população de São Paulo a coleção do MAM”, explicou um dos curadores da mostra, Tadeu Chiarelli. Sim, um dos curadores. Tadeu se uniu a Felipe Chaimovich e Cauê Alves para fazer uma curadoria “que dá chances a novas interpretações da arte brasileira”.

No subsolo da Oca ficaram as obras com um caráter construtivo da arte. Selecionadas por Chiarelli, ele reúne os “artistas com um ponto de vista crítico da arte enquanto poder”, contou Tadeu. Nele, você vê obras de artistas como Vik Muniz, Mick Carnicelli, Flávio de Carvalho, Ismael Nery e Waltércio Caldas.

O térreo é o que mais se relaciona com o Sampaist. Com curadoria de Cauê Alves, agrupa quadros, esculturas, gravuras e fotos com a temática arte e cidade. Aqui você confere obras de Alfredo Volpi, Thomas Farkas, Di Cavalcanti, Tomie Ohtake, Nelson Lerner e Tarsila do Amaral. Além da bela foto que ilustra este post, adoramos a obra “A Vista”, de Cássio Vasconcelos, composta de 67 fragmentos de fotos que formam uma visão muito legal de São Paulo.

penca_amaral_mam_oca.jpg

O primeiro andar ficou por conta de Felipe Chaimovich. “São obras fundamentais da arte brasileira a partir dos anos 70 e que mostram a relação do artista com a palavra e com a linguagem”. No primeiro você visita obras de Leonilson, Cláudio Tozzi, Iran do Espírito Santo, Mira Schendel, Nuno Ramos e Marcelo do Campo.

O segundo andar foi montado com contribuições dos três curadores, que criaram uma plataforma para novos artistas. “O MAM aposta que eles podem ser nomes significativos no cenário nacional”, afirmou Tadeu. Na plataforma você admira obras artista com de Pazé, Carla Zaccagnini, João Loureiro, Lia Chaia e Marcelo Cidade.

MAM na Oca: Arte brasileira do acerto do Museu de Arte Moderna de São Paulo // Oca – Pavilhão Lucas Nogueira Garcez – Parque do Ibirapuera, portal 3 // De 3 de outubro a 10 de dezembro // De terça a domingo, das 10h às 18h // Entrada gratuita

Foto: “Ladeira Dr Falcão” (1950), de German Lorca
Imagem: Detalhe da xilografia de “A Penca” (1971), de Antonio Henrique Amaral



One Response to “MAM na Oca: A arte é nossa!”

  1. adorando essa cobertura toda sobre Arte que vocês vêm fazendo. Sampaist é cultura. ;-)