São Paulo em Imagens & Histórias

vistasampa.jpg

A TV Cultura exibiu ontem o documentário “City-Tellers”, do artista italiano Francesco Jodice que participa da 27ª Bienal de São Paulo, que será realizada entre outubro e dezembro na cidade.

O docu-filme mostra o cotidiano da cidade, discute manifestações urbanas (como as pichações, por exemplo), aborda a violência e os meios que cada classe social tem para fugir dela (carros blindados ou através da música hip-hop), além de mostrar o dia-a-dia de alguns paulistanos anônimos. Nele, “reconstroem-se aspectos peculiares para a compreensão do caso SP como concretagem, migração, política, sistema econômico, modelo social, infraestruturação, abuso, normas especiais, planos futuros.

O site da TV Cultura tem uma boa descrição do projeto:

“City-Tellers é um documentário porque reporta fatos e eventos reais. É também um filme porque exibe eventos imprevisíveis e inusitados, comuns só em São Paulo e, portanto, “incríveis” em outros lugares. Eventos relatados em estilo visionário, seguindo a tradição do “film noir”. City-Tellers tem uma única forma e possivelmente duas colocações simultâneas: a Bienal de São Paulo e TV Cultura para testar semelhanças e diferenças entre o público “seletivo e elitista” do mundo da arte e o “cotidiano que não discrimina” da televisão.”

O filme integra o pioneiro “Projeto de Residências” da 27ª Bienal de São Paulo, que convidou dez artistas de todo o mundo para morar em cidades de três Estados brasileiros: Acre, Pernambuco e São Paulo.

Segundo a Revista Isto É Gente, o diretor Francesco Jodice (que é na verdade fotógrafo e arquiteto) viveu como um típico paulistano por um mês. Antes de chegar à cidade, o fotógrafo fez sua lição de casa, para assim fugir dos estereótipos quando se fala sobre o Brasil na Europa. Ele “comprou livros, navegou na internet, estudou desde antropologia até geografia e planejamento urbano.”

Jodice, tem 39 anos e nasceu em Nápoles. Grande ‘estudioso’ de megalópoles, usa as imagens e histórias que capta em suas observações para analisar o comportamento da população de cidades grandes. Ele “trabalha com relações entre o homem e a paisagem urbana, comparando comportamentos em várias metrópoles do mundo”. O italiano retorna ao Brasil para a abertura da Bienal, no dia 27 de outubro.

Haverá segunda exibição do programa no domingo, dia 08, às 21h.

Leia mais sobre esse projeto da Bienal e sobre os outros artistas que viveram em São Paulo como parte da experiência.

Foto do Flickr do Klausinho



Comments are closed.