Músico de Heliópolis na Academia da Filarmônica de Israel

Sinf%C3%B4nicadeHeli%C3%B3polis.jpg
O jovem morador de Heliópolis, Adriano Costa Chaves, embarca no dia 22 de agosto para Tel Aviv, onde irá se integrar à Academia da Filarmônica de Israel. Aluno do Instituto Baccarelli, Adriano é estudante de contrabaixo e foi reconhecido pelo grande maestro Zubin Mehta há pouco mais de um ano em sua própria comunidade.

Na ocasião, a convite do Instituto Votorantim e por iniciativa do Centro da Cultura Judaica, Zubin Mehta, um dos maiores regentes do mundo, se deslocou até a maior favela da América Latina para conhecer o Instituto Baccarelli, recomendado como referência em ensino de música para jovens em situação de vulnerabilidade social.

Ainda sem saber com que nível de música se depararia, Mehta assistiu à apresentações de corais de crianças, alunos iniciantes em violinos e, por último, da Sinfônica Heliópolis, conduzida pelo maestro Roberto Tibiriçá.

No momento em que a orquestra executava a 5ª. Sinfonia de Beethoven, Zubin Mehta se levantou admirado e, em seguida, tirou seu paletó para assumir a regência do grupo. Em depoimento posterior, o maestro admitiu ter ficado tão nervoso e emocionado como na primeira vez que esteve à frente de uma orquestra.

Logo após esse momento apoteótico para cada um dos jovens músicos, a direção do Instituto decidiu por apresentar a Zubin Mehta um aluno em especial, um talentoso contrabaixista.

Tenso, porém seguro, Adriano executou uma parte solo do Concerto para Contrabaixo de Domenico Dragonetti. Com apenas 17 anos na época, surpreendeu o maestro Mehta com o seu desempenho e dele recebeu uma bolsa de estudos na Academia da Orquestra Filarmônica de Israel.

Daí por diante, foi preparado para, em um ano, embarcar para um novo país, um novo continente, com uma cultura bastante diferente da brasileira. O Centro da Cultura Judaica ficou responsável por promover a viagem e oferecer toda a estrutura de adaptação para Adriano, que recebeu aulas de cultura judaica, hebraico e, ainda, terá um acompanhamento cuidadoso em Tel Aviv.

O Instituto Baccarelli também tomou medidas para reforçar as aulas de contrabaixo do aluno que, diariamente, estudava de 6 a 8 horas por dia concentrado em seu objetivo. Adriano Costa Chaves se tornou um modelo vivo de esperança para todos os alunos que estudam música no Instituto.

A certeza de que é possível surgir um talento em uma comunidade tão desprovida dos recursos básicos necessários ao desenvolvimento humano, permeou a vida de cada criança e jovem da região que participa das atividades culturais. Que essa primeira viagem de avião seja apenas a primeira de muitas que farão parte da vida profissional de Adriano mundo afora.

Foto de divulgação do Ministério da Cultura.



Comments are closed.