Metrô: ruim com ele, pior sem ele

metro.jpg

Hoje pela manhã a Capital registrou seu congestionamento recorde do ano: 188 Km às 9h00. O motivo do caos matutino foi a greve do metrô que deixou, aproximadamente, 3 milhões de pessoas sem transporte público. A paralisação é uma resposta ao processo de privatização da Linha 4.

A frota de ônibus que circula pela região metropolitana foi reforçada, mas o tráfego seguiu intenso durante toda a manhã e inicio da tarde.

A greve, que deve durar 24 horas, complicou – e deve complicar ainda mais – a vida do paulistano durante esta terça-feira. O Sindicato dos Metroviários terá de pagar uma multa de R$ 100 mil reais/dia ao Governo por não respeitar a lei de manter um número mínimo de trens circulando.

A manhã de uma paulistana

Tudo começou às 8h30 quando, ciente dos acontecimentos, saí de São Bernardo do Campo, região do ABC Paulista, por meio da Via Anchieta. O movimento estava dentro do previsto e em nenhum momento o tráfego chegou a parar efetivamente.

A situação mudou consideravelmente quando peguei, enfim, a Rua Vergueiro. Com trânsito intenso, a expectativa de encontrar o pior adiante era inevitável. E foi o que aconteceu. Durante mais de 2h00 fiquei parada tentando, de alguma maneira, chegar a Domingos de Moraes. O desespero – e o calor – eram tão intensos que deixei o Nada Surf de lado e passei a escutar a CBN a fim de encontrar um caminho alternativo.

As horas continuavam passando e nada do tráfego seguir o seu fluxo normal. A expressão entre os motoristas era unânime: todos carregavam em si um ar de irritação e uma sensação de inutilidade, visto que nada se podia fazer frente a tal situação.

Enquanto esperava um semáforo abrir, um dos candidatos ao Governo do Estado de São Paulo era entrevistado e falava sobre o domínio do crime organizado e sobre a má situação do sistema carcerário brasileiro. Nenhuma novidade tendo em vista que 2006 é um ano eleitoral.

Enfim, a maratona só terminou quando entrei na Rua Augusta, segui pela Avenida Europa e cheguei, quase na hora do almoço, a Avenida Cidade Jardim.

E você, qual o trajeto que marcou sua terça-feira?

Imagem/crédito: André di Lucca



One Response to “Metrô: ruim com ele, pior sem ele”

  1. Putttttttttssssssssss começei no mesmo percurso saindo de SBCampo pegando um pequeno transito na Via Anchieta, mais quando cheguei na Juntas Provisórias uhhhhhhhhhhhmmmmmmmm tudo parado, e assim foi até chegar a Guarulhos que geralmente gasto 1:20hs. acabei gastando 3:40hs.
    E viva São Paulo.