O lado verde (algumas vezes colorido) de São Paulo

fonte.jpg

O Parque do Ibirapuera nunca mais foi o mesmo depois de suas belas fontes d’água. O malabarismo colorido, presente de 450 anos da cidade, deu ao espaço um novo atrativo, encarado por muito como um espetáculo ao ar livre.

Ainda hoje, alguns anos após suas instalações, é comum perceber grupos de pessoas prestigiando a sincronia de imagens e carros diminuindo a velocidade quando passam ao lado das fontes, na conhecida Avenida República Líbano.

Como de praxe, neste mês, quando comemora seu aniversário, o Parque do Ibirapuera ganhará uma programação especial. A partir do dia 05 o espetáculo “A Água e a natureza” será o principal chamariz do marco paulistano. Durante todos os finais de semana de agosto os visitantes poderão contemplar, gratuitamente, a apresentação.

Os responsáveis pelo show são duas empresas brasileiras: Visual Farm, especializada no desenvolvimento de novas linguagens visuais e “Scratc Studios”, que cuidará de todo o conceito musical.

Quando presenteamos São Paulo com a Fonte Multimídia, no aniversário de 450 anos da cidade, nos comprometemos a fazer dela um cartão postal perene, digno dessa grande metrópole. Esse novo espetáculo confirma nosso compromisso de sempre oferecer atrações gratuitas de qualidade à população, com apurado rigor artístico e novidades tecnológicas – Eduardo Romero, diretor de marketing corporativo do Grupo Pão de Açúcar

A trilha sonora é caprichada e traz muitas composições criadas especialmente para o espetáculo. Um dos destaques será a releitura da canção “Singing in the Rain”, originalmente interpretada por Fred Astaire; a música servirá de base para uma das coreografias concebidas por Luciana Brits e Lorena Lobato.

Veja abaixo as musicas que devem compor a trilha sonora do espetáculo:

- Abertura da ópera “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini
- A Cavalgada das Valquírias, da ópera As Valquírias, de Wagner
- Urbe, música eletrônica subaquática composta por Scratch Studios
- Pleasure Train, de Strauss
- Allegro da Water Music, de Haendel
- Kanon & Gigue, de Pachelbel
- Trenzinho Caipira, de Villa-Lobos
- Born of Blood, música eletrônica composta por Scratch Studios
- The High Castle, de Smetana
- Singing in the rain, releitura de Scratch Studios
- The March, de Jeff Mills, interpretada pela Orquestra Filarmônica de Montpellier
- Abertura 1812, Op.49, de Tchaikovsky

Imagem//crédito – Divulgação



Comments are closed.