Desenho de Deus?

armandinho.jpg
“Quando Deus te desenhou, ele tava namorando
Na beira do mar do amor.
Papai do céu na hora de fazer você
Ele deve ter caprichado pra valer”

Blasfêmias à parte, a letra dessa música merece uma análise séria – que não será feita por Sampaist, obviamente. Mas ela só está aqui porque é impossível ligar o rádio e conseguir fugir dela. Ou tentar ver uns clipes legais na TV e não dar de cara com uma multidão cantarolando essas frases em vários canais ao mesmo tempo. E se você passou por algum bar com música ao vivo ultimamente, pode nem ter percebido, mas chegou em casa murmurando as estrofes acima.

O moço estava inspirado. Mais que o Deus, opa, “Papai-do-Céu” apaixonado na beira do mar do amor quando escreveu a pérola.

E ele se chama Armandinho. Tentaram vender como o Jack Johnson brasileiro, mas ele ainda está mais para um Felipe Dylon grande com voz pequena. Em uma apresentação ao vivo no Faustão, assassinou Djavan em uma suposta homenagem, enquanto sua voz não saía e ele dançava o famoso passo ‘matando-barata’ do reggae.

Descobrimos que ele é gaúcho, mora na praia, inpira-se “no mar e no amor”, e é surfista(…). Mas tudo isso era previsível demais. O que mais nos chamou a atenção nessa reportagem da UOL, que se fosse um pouco menos séria seria piada pronta, é o repertório ( ou falta de ) do Armandinho-paz-e-amor.

Seu disco “Ao Vivo”, contém músicas de dois shows na mesma cidade e no mesmo mês, e ainda rendeu um DVD. Com esse repertório de peso, nunca um show é igual ao outro, porque nosso Rasta-Man gosta de flexibilidade no palco e intercala músicas novas com ‘sucessos’ o tempo todo.

No entanto, para os shows em São Paulo, ele fará algo inédito: um set-list fixo. E adivinhem qual vai ser a surpresa! Usando suas próprias palavras:

“Eu quero fazer um show com as músicas do DVD, na ordem em que foram gravadas. Quero estrear com o pé direito na cidade”.

Se depender do preço dos ingressos, pode até começar com o esquerdo mesmo que está valendo!

Sampaist manda ‘good vibrations’. Se você ainda não se convenceu, confira os nomes de outras canções do show: “Folha de Bananeira”, “Toca um Reggera aí”, “Morena Nativa” e “Lua Cheia”.

E se você esteve fora de órbita, essa é sua última chance. No YouTube, dá para ouvir a música ao vivo, e ainda saber como ela foi ‘psicografada’ ( !!! ): Desenho de Deus. Imperdível, divirta-se.

Foto: divulgação.

Armandinho em São Paulo // Citibank Hall (Av. Jamaris, 213) // 14 e 15 de julho, 22h // R$50 (pista) e R$100 (camarotes) // Informações: (11) 6846-6040



4 Responses to “Desenho de Deus?”

  1. “Artista” fabricado. Mais um. Logo logo desaparece. Só escuto Kiss Fm e então, quem quiser, dá pra fugir sim, de ouvir coisas do tipo.

  2. a parte boa dessa história é que faz tempo que não ouço música dele nas rádios aqui de Porto Alegre. façam bom proveito dele por aí, hehe.

  3. Eu ia fazer um comentário parecido com esse do Solon! Armandinho se tornou nacional e deu uma folga para o Rio Grande do Sul. É, com certeza, a melhor parte disso tudo.

  4. Engraçado, mas parece mesmo que ele pegou mais aqui que no resto do país. Li o post para o pessoal do trampo, e um dos caras aqui disse que toca em bares nos finais de semana e que ele tem que tocar essa música pelo menos 3 vezes na noite…