Extra, extra

rev.jpg – Três mil pessoas assistem ao desfile em homenagem à Revolução Constitucionalista no Ibirapuera.
- Ruído nocivo do Aeroporto de Congonhas atinge o Itaim.
- Incêndio em restaurante deixa dois feridos na zona oeste de SP.
- Modelo mineira de 14 anos chega à SPFW como promessa da moda.
- Incêndio atinge depósito da Justiça Eleitoral de São Paulo.
- Prefeitura lança programa de férias para 125 mil crianças.
- Policial é assassinado com 19 tiros na zona leste de São Paulo.

Foto das comemorações da Revolução Constitucionalista no site do governo do Estado.



2 Responses to “Extra, extra”

  1. O site do Estado, indicado no post, explica o que é a Revolução Constitucionalista:

    “Toda a população se uniu em torno do mesmo ideal e partiu para a luta armada para que o Brasil tivesse sua Constituição.”

    Imaginava que fosse de outro jeito que se fez a tal “constituição”. Mas, reparem nas palavras acima: “toda a população” unidas para “uma luta ARMADA”.

    É assim, com armas, que se fazem as leis e constituições?

    Agora entendo os porquês do Estado aparentemente não ter forças morais para coibir os crimes cometidos pelos criminosos que usam as armas para se impor e causar terror.

    O exemplo maior veio das próprias autoridades.

    Mais, pergunto curioso, “a população” civil também portou armas?

    Fico imaginando essa sena!

    Que mundo horroroso, esse dos que querem serem ‘constituidos’ regentes dos pobres humanos!

    by

  2. Bem, já que, por alguma razão não entendida, não consigo comentar o post do Lucas lá, resolvi deixar aqui no do Leandro.

    ————————————————-
    :

    Lucas. Você sugere: “invente uma gripe”.

    Caro Lucas, será que não é errado, ou perigoso, ou ainda um tremendo erro ant seu emprego ‘inventar’ que tá doente, por causa da chuva?

    Não seria melhor pogar logo de verdade uma gripe!

    Então, tá dada a dica verdadeira: Vamos pegar logo uma gripe verdadeira pois, desta forma, não correremos o risco de sermos ‘mandados embora’ do trabalho.

    Preservem seu trabalho – pegem logo a gripe, não ‘inventem’!

    hi, hi, hi…