Corra Lola Corra

Os temidos radares móveis, que vez e outra aparecem em lugares inesperados da cidade, sairão de circulação, a partir próxima semana. O contrato da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) com a empresa responsável pelos equipamentos vence nesta segunda-feira e o atual prefeito Gilberto Kassab (PFL) decidiu não renovar.

São 40 aparelhos espalhados por São Paulo que foram responsáveis por 26% da arrecadação entre as multas de trânsito em 2005. Eles fazem, em média, 40 mil multas por mês, totalizando R$ 90 milhões em 2005.

Ainda está indefinido quando os radares móveis voltarão a funcionar. Enquanto isso, os fixos continuam trabalhando, mas os motoristas que conhecerem os lugares estratégicos podem correr mais um pouquinho.



Comments are closed.